Brasil só fica atrás de Gâmbia em aumento da taxa de juros em 2013

Brasil só fica atrás de Gâmbia em aumento da taxa de juros em 2013

O aumento brasileiro no ano foi de 2,75 pontos percentuais, levando a taxa de juros a 10%

Em 2013, o Brasil só perdeu para a Gâmbia entre os países que mais tiveram aumento da taxa de juros, de acordo com lista do site Central Bank News, que compila dados de 90 países.

O aumento brasileiro no ano foi de 2,75 pontos percentuais, levando a taxa de juros a 10%, quase o dobro da média dos países pesquisados, de 5,44%. O aumento na Gâmbia chegou a 6 pontos percentuais, elevando a taxa de juros do país africano a 18% ao ano.

A taxa básica de juros (Selic) é o instrumento usado pelo governo para controlar a alta da inflação --que, no acumulado do ano, está em 5,85%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial.

Quanto mais alta a taxa de juros, mais caro fica para o comprador tomar dinheiro emprestado ou financiar compras, o que faz com que, em tese, o consumo e o preço dos produtos caiam.

O aumento deve continuar em 2014, mas a tendência é que seu ritmo desacelere no Brasil. De acordo com a pesquisa semanal Focus, divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira (23), a projeção é que os juros aumentem 0,5 pontos percentuais até o final de 2014, mesmo com a projeção de aumento do IPCA em 5,97%.

Em 2013, Gâmbia e Brasil foram seguidos pela Indonésia, com aumento de 1,75 ponto percentual na taxa de juros, que foi para 7,5%. A República Dominicana ficou em quarto lugar, com aumento de 1,25 ponto percentual em 2013, indo para 6,25%.

Segundo a mesma lista, os países que mais baixaram sua taxa de juros foram Serra Leoa, que teve queda de 8 pontos percentuais, indo para juros de 12% ao ano; Bielorrússia, que teve queda de 6,5 pontos percentuais, indo para juros de 6,5%; e a Hungria, que teve queda de 2,75% em sua taxa de juros, que foi para 3%.


Brasil só fica atrás de Gâmbia em aumento da taxa de juros em 2013

Fonte: UOL