Brasileiro pagou mais de R$ 1 tri em impostos em 2009

Arrecadação poderia ter sido ainda maior se não fosse a crise internacional, diz Receita

Os brasileiros pagaram R$ 1,055 trilhão em impostos no ano de 2009. O montante equivale a 33,58% do PIB (produto interno bruto, ou soma das riquezas produzidas no país). Isso quer dizer que um terço de tudo o que os brasileiros produziram veio do pagamento impostos.

Esta é a primeira queda da arrecadação em relação ao PIB desde 2006 ? quando os tributos representavam 33,4% do PIB. O principal motivo foi a crise financeira mundial, pois a queda de atividade econômica derruba a arrecadação de impostos. Em 2008, a proporção era de 34,4% do PIB e em 2007 era de 33,9%.

O recuo só não foi maior graças ao bom desempenho do setor de serviços, que registrou crescimento de 2,6% na arrecadação, enquanto indústria e agropecuária tiveram queda de 5,5% e 5,2% respectivamente. Em valores absolutos, no entanto, a arrecadação vem crescendo ano a ano.

Além disso, de acordo com a Receita, a crise financeira afetou a arrecadação nos três primeiros trimestres do ano passado, mas houve recuperação no último trimestre.

Em 2009, a retração da demanda externa (redução de compras de países que importam do Brasil) e a restrição ao crédito interno ajudaram a diminuir os impostos que o fisco tira dos trabalhadores.

Já as medidas adotadas pelo governo para conter a crise foram apontados como positivas para a arrecadação, porque apesar de o governo cortar alguns impostos (como o IPI, ou Imposto sobre Produtos Industrializados), a redução aqueceu o mercado e gerou a arrecadação de outros impostos (como o ICMS e o PIS/Cofins).

Os tributos que tiveram as maiores variações positivas no período foram a contribuição para a Previdência Social (regime que atende os trabalhadores da inciativa privada), a contribuição para o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e a Contribuição para a Seguridade Social do Servidor Público.

Por outro lado, a Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) refletiu na arrecadação negativamente, devido à queda nas importações.

Mesmo com a redução, o Brasil ainda é um dos países com a maior carga tributária na comparação com o PIB do mundo. A relação entre pagamento de impostos e riquezas produzidas no país é maior no Brasil do que a países como Espanha, Canadá, Suíça e Irlanda ? que têm uma rede social de auxílio ao cidadão (saúde, educação, aposentadoria e auxílios) muito mais estruturada do que o Brasil.

Fonte: R7, www.r7.com