Brasileiros preferem comprar em parcelas, aponta estudo

Das 1,6 mil pessoas entrevistadas, 58% costumam pagar parcelado

A maior parte dos brasileiros, 58%, prefere comprar parcelado. É o que revela estudo feito a pedido da MasterCard e divulgado nesta segunda-feira (21). Conforme também mostra o levantamento, que ouviu 1,6 mil pessoas, os meios de parcelamento mais comuns são o cartão de crédito (40%) e o crediário (36%).

A pesquisa foi feita junto a pessoas de todas as classes sociais e de ambos os sexos, com idade superior a 20 anos, e residentes nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Recife e Ribeirão Preto. Entre homens e mulheres, a população feminina, com 57% do total, prefere comprar parcelado; já por idade, as pessoas na faixa etária entre 20 e 45 anos, representam 70% das compras parceladas no país.

Quando o critério é avaliado por classe, 71% pertence às classes C e E, indica a pesquisa. Os entrevistados que utilizam o crediário justificam sua preferência em razão do maior número de parcelas, o que resulta em menor valor das prestações, rapidez na aprovação do crédito, juros menores e o fato de não ser preciso comprovar renda.

Por outro lado, os usuários do cartão de crédito consideram o uso desse recurso mais prático, menos burocrático, de maior aceitação e sem necessidade de aprovação de crédito, informa a pesquisa. "O crediário é uma opção utilizada por todas as classes sociais, não só a baixa renda. Porém, cerca de 60% dos usuários tem renda familiar de até R$ 1,2 mil", comenta Erick Luiz, vice-presidente para Produtos de Mass Market da MasterCard Brasil e Cone Sul. Usuários de crediário

A pesquisa também mostra que, entre os entrevistados, os consumidores que optam pelo crediário são mais adeptos ao parcelamento de modo geral, já que também utilizam intensamente cartão de crédito (59%) e cartões de lojas (58%). Os produtos mais consumidos via crediário são eletrodomésticos e eletrônicos, principalmente nas lojas de departamento. Móveis, objetos de decoração, roupas, sapatos e bolsas ocupam o segundo lugar.

O estudo também aponta que 84% das compras realizadas via crediário no país são feitas em até 12 parcelas, sendo que o valor médio delas está entre R$ 50 e R$ 200. Ainda sobre quem prefere o crediário, 54% dos usuários não veem desvantagens. Dentre os demais, os principais pontos negativos apontam os juros altos (26%).

Fonte: g1, www.g1.com.br