Bush volta a dizer que aprovação de pacote de ajuda financeira tem urgência nos EUA

O presidente dos EUA, George W. Bush, disse nesta sexta-feira, em discurso na TV

O presidente dos EUA, George W. Bush, disse nesta sexta-feira, em discurso na TV, que o governo vai conseguir aprovar o pacote de ajuda a setor financeiro, de US$ 700 bilh?es, proposto no s?bado (20). "Precisamos rapidamente de um plano de resgate dos bancos em dificuldades."

Bush disse que h? desacordos sobre determinados aspectos do pacote, mas que n?o h? discord?ncia sobre a necessidade de se fazer algo para evitar maiores danos ? economia.

O presidente americano afirmou ainda que a negocia??o sobre a ajuda destinada ao setor financeiro "? um grande desafio para os legisladores". Bush afirmou que eles "querem expressar suas opini?es e t?m esse direito". Bush, no entanto, foi categ?rico: "Vamos conseguir aprovar o pacote", afirmou, ressaltando que republicanos e democratas "v?o se unir para chegar a um plano substancial".

O pronunciamento ocorre ap?s mais um cap?tulo que demonstra a gravidade da crise financeira. O banco de poupan?a e investimentos ("savings & loans") Washington Mutual (WaMu) foi fechado pelo governo dos EUA na maior fal?ncia de um banco na hist?ria do pa?s, e seus ativos banc?rios foram vendidos por US$ 1,9 bilh?o ao JPMorgan Chase.

Antes do fato de ontem, aprofundaram a crise a quebra do banco de investimentos Lehman Brothers; a venda do Merrill Lynch ao Bank of America; os problemas da seguradora AIG, que precisou de um empr?stimo de US$ 85 bilh?es do Fed (o banco central americano) e a ajuda de US$ 200 bilh?es ?s duas gigantes hipotec?rias americanas, Fannie Mae e Freddie Mac.

Negocia??o

Ontem, um grupo de congressistas democratas e republicanos havia sinalizado com um acordo para aprova??o r?pida no Congresso do pacote de US$ 700 bilh?es proposto pela Casa Branca para fazer frente ? crise financeira.

Algumas horas mais tarde, ap?s o encerramento dos mercados, o l?der da maioria do Senado, o democrata Harry Reid, admitiu o impasse. "Sinceramente, n?o aconteceu nada nas ?ltimas horas que possa nos ajudar no processo", afirmou Reid, ap?s nova reuni?o entre democratas e republicanos.

Anteontem, o presidente George W. Bush fez um discurso em cadeia nacional de TV em que falou sobre o risco de uma recess?o e em que pediu urg?ncia para o Congresso.

Nos esfor?os para a aprova??o, o presidente convocou ontem os dois candidatos ? sucess?o presidencial, Barack Obama (democrata) e John McCain (republicano), para articular um consenso que permitisse a tramita??o r?pida do plano anticrise, antes do recesso parlamentar.

McCain, Obama e as lideran?as dos dois partidos no Senado e na C?mara dos Representantes (Deputados) participaram do encontro que, em princ?pio, apontava para um consenso, o que foi desmentido no in?cio da noite de ontem.

"Nunca houve um acordo, mas eu acredito que a reuni?o foi importante para mover o processo adiante", afirmou o candidato republicano. As negocia?es devem ser retomadas ainda hoje.

Bases do pacote

O pacote de US$ 700 bilh?es proposto pelo Departamento do Tesouro para controlar a crise financeira nos Estados Unidos seria liberado em presta?es. De acordo com o divulgado at? agora, uma primeira parcela de US$ 250 bilh?es ser? disponibilizada imediatamente, com possibilidade de desembolso adicional de US$ 100 bilh?es se necess?rio.

Segundo fontes citadas pelo jornal "The Wall Street Journal", o Congresso tamb?m ser? capaz de bloquear a ?ltima presta??o por meio de vota??o, caso n?o esteja satisfeito com a aplica??o do programa.

O plano permitir? ao Departamento do Tesouro comprar no mercado financeiro pap?is de risco, como os lastreados por hipotecas "subprime" (que re?ne clientes com hist?rico de cr?dito duvidoso).

O acordo a que os congressistas chegaram deve incluir medidas que n?o estavam na proposta original do secret?rio do Tesouro, Henry Paulson, como limites ?s remunera?es dos executivos dos bancos beneficiados pelo pacote, al?m de algum instrumento para que o governo recupere parte dos US$ 700 bilh?es que pretende empregar para enxugar do mercado os t?tulos de risco.

Origem

O atual momento da crise financeira americana tem em sua raiz a quebra do banco de investimentos Lehman Brothers, a venda do Merrill Lynch ao Bank of America e os problemas da seguradora AIG, que precisou de um empr?stimo de US$ 85 bilh?es do Fed todos eventos ocorridos na semana passada.

No in?cio do m?s j? havia sinais de agravamento da situa??o: as duas gigantes hipotec?rias americanas Fannie Mae e Freddie Mac, tamb?m sem caixa, levaram o Tesouro a preparar uma ajuda de US$ 200 bilh?es, para manterem as portas abertas. As duas, no entanto, passaram a ser controladas pelo governo, atrav?s da FHFA (Federal Housing Finance Agency), a ag?ncia financeira federal para o setor imobili?rio residencial.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br