Ceará lidera a disputa de usina nuclear no Nordeste

Segundo a EPE, estudos para a usina nuclear nordestina começam entre outubro e novembro próximos

O Minist?rio de Minas e Energia (MME) inicia, at? o fim do ano, estudos para definir a localiza??o de uma usina nuclear no Nordeste do Pa?s. A planta, com capacidade instalada de 1.000 MW, faz parte do Plano Nacional de Energia, que prev? a implanta??o de duas usinas nucleares na regi?o at? 2030. O Cear? parte na frente nesta disputa, por conta da jazida de ur?nio de Itataia, localizada no munic?pio de Santa Quit?ria, a 222 km de Fortaleza, segunda maior reserva do Brasil, com explora??o prevista para 2012.

?Os estudos de localiza??o de uma futura planta nuclear v?o se iniciar em outubro ou novembro deste ano. A defini??o (de onde se construir? a usina) deve se dar at? o pr?ximo ano?, afirmou Jos? Carlos de Farias, diretor de Estudos da Energia El?trica da Empresa de Pesquisa Energ?tica (EPE), ligada ao MME. Miranda foi um dos palestrantes do semin?rio ??gua e Energia no Nordeste: presente e futuro?, promovido ontem pela Funda??o Gilberto Freyre, na Federa??o das Ind?strias do Estado (Fiec).

O engenheiro destacou que o pre?o competitivo viabiliza investimentos em gera??o nuclear no Pa?s. ?Angra 3, por exemplo, tem custo de R$ 150 o Megawatt hora (MWh). Se voc? retirar os investimentos que a Petrobras fez no projeto, esse custo de gera??o cai para R$ 100 a R$ 120 o MWh?. Em 2020, as plantas de gera??o tendo o combust?vel radioativo como fonte representar?o cerca de 2,7% da matriz nacional.

Respondendo ?s quest?es sobre impactos e seguran?a ambiental de um investimento nuclear, Farias destacou que os riscos de acidentes com res?duos radioativos no mundo s?o baix?ssimos. ?Com as novas tecnologias, o res?duo anual de uma usina cabe em uma x?cara m?dia de caf?. Eu viajo tr?s vezes por semana de avi?o e o risco de um acidente a?reo ? o mesmo de uma usina, levando em conta as estat?sticas da 700 plantas nucleares em opera??o no planeta?, comentou.

Faturamento em Itataia

Quando iniciar suas opera?es, no primeiro trimestre de 2012, a mina de Santa Quit?ria deve ter um faturamento anual de pelo menos US$ 525 milh?es, com a extra??o de fosfato e ur?nio. A previs?o ? da Ind?strias Nucleares do Brasil (INB), a qual cabe a explora??o do combust?vel nuclear. Apesar de representar apenas 1% do produto explorado, o ur?nio, depois de separado de outros materiais e concentrado, transforma-se em um sal amarelo, o ?yellowcake?, cujo valor no mercado internacional chega a US$ 150 mil por tonelada.

Quando estiver em sua produ??o plena, ser?o extra?das cerca de 1.500 toneladas por ano, que render?o faturamento de US$ 225 milh?es. Estima-se que sejam retiradas da mina cerca de 240 mil toneladas de fosfato por ano, o que representa um faturamento de mais US$ 300 milh?es.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br