Celular roubado gera comércio ilegal

Os ambulantes se espalham pela Praça da Bandeira ao lado do Shopping da Cidade

Antes da revitalização do Centro de Teresina, eles ficavam em bancas montadas na Praça Rio Branco. Agora, os vendedores de celulares usados ? e de procedência duvidosa ? estão movimentando um comércio paralelo na Praça da Bandeira, ao lado do Shopping da Cidade. Muitos vendedores negando que os celulares comercializados no local sejam roubados, no entanto quando o negócio é fechado o cliente nunca recebe junto com o aparelho a nota fiscal do produto. Além disso, os celulares novos comercializados por lá, em sua maioria são oriundos de países asiáticos e cópias piratas de marcas famosas. Quando abordados pela nossa equipe, nenhum deles quis se pronunciar sobre o assunto e se portaram de forma agressiva, intimidando nossa reportagem.

Mas esse tipo de comércio só existe porque algumas pessoas o alimentam e vêem nos preços mais baratos um atrativo, sem levar em conta a origem do produto. Este é o caso da dona de casa, Edilene Costa, que estava adquirindo um desses aparelhos no momento que fazíamos a matéria. ?Não vim procurar um aparelho específico, mas perdi meu telefone e vim aqui comprar um que seja mais barato porque para mim é o preço que interessa?, revela. No entanto, o especialistas

O agente da polícia civil, Francisco Mesquita, que trabalha no 1° DP ? delegacia responsável pelo policiamento na área do Centro ? orienta que é importante o cidadão ter a consciência de que toda vez que compra um aparelho no comércio ilegal está contribuindo para fortalecer o mercado criminoso. ?É preciso ficar claro que os aparelhos são furtados porque existe um comércio posterior e defendo que deveria ser feito algo mais efetivo junto às operadoras para inviabilizar o uso do aparelho. Com isso, a venda irregular vai diminuir e acredito os roubos e furtos também?, pontua o policial.

O problema dos roubos e comércio de celulares de origem duvidosa é tão sério que já motivou um levantamento realizado pelo Ministério da Justiça que constatou: por ano, cerca de 1 milhão de aparelhos celulares são roubados ou furtados em todo o país. Segundo as estatísticas da SDE, esse número de celulares representa 30% dos 3 milhões entre todos os eletrônicos que são roubados anualmente no Brasil. No entanto, os números podem ser ainda maiores, porque de acordo com uma pesquisa, realizada pela Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça, a maioria dos consumidores não registra a ocorrência dos furtos. Aqui no Piauí, não existe um levantamento oficial, mas de acordo com as autoridades de segurança o furto e roubo de celulares é um crime bastante comum. (M.R)

Fonte: Mar­ci­la­ny Rod­ri­gues