Chuvas trazem prejuízo nas vendas para donos de comércio em Teresina

Ele, que construiu uma pequena barricada na fachada para evitar a inundação da água, ainda não descobriu uma fórmula para fazer os clientes voltarem a seu estabelecimento

O início da semana é época de calmaria no comércio e contagem do prejuízo arrecadado nos últimos dias. As fortes chuvas que caíram sobre Teresina trouxeram alagamento para as ruas e avenidas, resultando em prejuízo para lojas que ficam localizadas nestes entornos. Em um empreendimento da zona Leste da capital o prejuízo superou 60% na última semana.

Proprietário de um pet shop no bairro São Cristóvão, o comerciante José Neto já deu início à faxina geral no ambiente para avaliar o prejuízo causado, não só pela chuva, mas pela falta de clientes.

Ele, que construiu uma pequena barricada na fachada para evitar a inundação da água, ainda não descobriu uma fórmula para fazer os clientes voltarem a seu estabelecimento.

"A gente perde muito movimento com as chuvas. Nosso maior movimento é no horário de almoço e após o fim do expediente, horários que foram marcados pelas chuvas. Aqui alaga muito e o pessoal não para.

Quando não dá alagamento, o trânsito congestiona e as pessoas buscam outros caminhos, ou seja, acabam não passando por aqui", conta o proprietário.

A queda de movimento traz queda nos lucros e uma dor de cabeça a mais, posto que as despesas com aluguel do espaço, pagamento de funcionários e contas de água, energia, telefone e impostos continuam as mesmas. "Essa situação é ruim demais, a gente fica sem saber o que fazer", lamenta José Neto.

A Prefeitura de Teresina intensifica uma série de ações para reparar os estragos causados pela forte chuva registrada na capital nos últimos dias.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh) e as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) concentram esforços para, emergencialmente, solucionar os problemas causados em ruas e avenidas da cidade.

 

Fonte: Olegário Borges