Começa o horário de verão em dez Estados brasileiros; adiante o relógio

Começou à 0h deste domingo (20) o horário de verão

Começou à 0h deste domingo (20) o horário de verão, que vai vigorar até o dia 16 de fevereiro de 2014 nos Estados do Sul (Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina), Sudeste (São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais) e Centro-Oeste (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás), além do Distrito Federal. Os moradores dessas regiões devem adiantar o relógio em uma hora.

Estados participantes

O Tocantins, que aderiu ao horário na edição anterior, e a Bahia, que também já adotou a medida em anos anteriores, decidiram não mais mexer nos relógios.

"O ganho nessas regiões é mínimo e não compensa os desgastes da mudança, tampouco a insatisfação da população", explica Souza. A medida é adotada no Brasil desde 1931 como forma de economizar energia.

Por conta de um decreto presidencial, desde 2008 foram estabelecidas datas fixas para o horário de verão, que anualmente tem início no terceiro domingo de outubro e termina no terceiro domingo de fevereiro. Mas, caso a data de término coincida com o domingo de Carnaval, o fim da medida é transferido para o domingo seguinte.

Nesta edição, segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema), a economia deve chegar aos R$ 400 milhões com os 119 dias de duração do horário de verão 2013/2014. Com uma hora a mais de luz natural, a demanda no horário de pico deve diminuir 4,6% no subsistema Sudeste/Centro-Oeste e 5% no subsistema Sul, conforme previsão do órgão federal.

Em entrevista ao "Estadão Conteúdo", o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Ildo Grüdtner, informou que nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, em termos de consumo, a economia será equivalente a 25% do consumo mensal de energia da cidade de Brasília. No Sul, a economia do consumo de energia será o equivalente a 75% do consumo mensal de energia da cidade de Curitiba.

Especificamente nos 24 municípios de São Paulo atendidos pela AES Eletropaulo, a concessionária paulista estima reduzir em 4,5% o consumo de energia elétrica no período, volume que, segundo a empresa, corresponde à demanda de energia de um mês nos municípios de Osasco e São Caetano, que têm mais de 840 mil habitantes somados.

Fonte: UOL