Crise afeta maiores marcas globais em 2008

O valor das maiores marcas do mundo ficou em US$ 1,15 trilhão, queda de 4,6% sobre o US$ 1,21 trilhão de 2008

Foi a primeira queda desde que o estudo começou a ser feito, em 2000. Setor financeiro liderou perdas, que ficou em 4,6% no ano passado. O estudo Interbrand de marcas globais, divulgado nesta sexta-feira (18), reflete o comportamento negativo de diversas marcas neste último ano. Pela primeira vez desde o início da publicação do estudo, há nove anos, o valor total das 100 maiores marcas globais em 2009.

O valor das maiores marcas do mundo ficou em US$ 1,15 trilhão, queda de 4,6% sobre o US$ 1,21 trilhão de 2008. De acordo com o instituto que realizou o levantamento, nos últimos anos, o valor das marcas das maiores empresas do mundo vinha apresentando valorização de 5% ao ano. Companhias fortemente afetadas pela crise financeira, como o banco Merrill Lynch e a seguradora AIG, deixaram a lista das cem maiores marcas, de acordo com a Interbrand.

Setor financeiro

Segundo o estudo, as cinco marcas que mais perderam valor foram UBS (-50%), Citi (-49%), American Express (-32%), Morgan Stanley (-26%) e Harley-Davidson (-43%). Quatro delas fazem parte do setor financeiro, que teve a queda mais significativa em valor de marca entre as cem empresas listadas. O valor das marcas deste setor caiu 40%, de US$ 130,4 bilhões para US$ 78,8 bilhões.

Outros setores abalados pela crise do crédito internacional os setores de transportes (-27%) e automobilístico (-9%). Todas as marcas de carro integrantes do estudo perderam valor no ano. A exceção foi a Ferrari, do mercado de luxo. Na contramão

Na contramão da crise, as cinco marcas que mais ganharam valor, crescendo dois dígitos, foram: Google (+25%), Amazon.com (+22%), Zara (+14%), Nestlé (+13%) e Apple (+12%).

Fonte: g1, www.g1.com.br