Crise econômica fará com que 230 milhões de pessoas percam o emprego em 2009

Visto os números, os líderes empresariais se depararam com a inevitável realidade

A crise econômica fará com que cerca de 230 milhões de pessoas percam o emprego em 2009. Se as previsões se confirmarem, a taxa mundial de desemprego sofrerá um acréscimo 7,1% em relação ao ano passado. O dados são da Organização Internacional do Trabalho e foram apresentados nesta semana aos empresários, políticos e chefes de Estado presentes ao Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça.

Visto os números, os líderes empresariais se depararam com a inevitável realidade: a grande questão do momento não é ?se? haverá cortes, mas ?quando? eles vão ocorrer e ?como? fazer isto de uma forma que não comprometa a competitividade da empresa. A conclusão dos frequentadores de Davos aponta para a necessidade de reter a maior quantidade possível de profissionais talentosos, que serão fundamentais para manter a empresa viva até o final da tormenta econômica. Como observou a revista inglesa The Economist, ?as empresas precisarão remover a gordura sem danificar o músculo?.

O problema: poucas empresas realmente se preocuparam em formar profissionais talentosos. ?Discursos como ?nossos funcionários são nossos maiores ativos? freqüentemente não passam de espuma, superficialidade das companhias?, disse Mark Spelman, consultor da Accenture, em entrevista a Economist. As empresas que realmente cuidaram de seus talentos, segundo ele, tem maior probabilidade de seguir adiante. As que não fizeram isto terão de recorrer ao mercado. E, no atual momento, o mercado é comprador ? o que faz diminuir drasticamente a oferta e elevar consideravelmente os salários.

Para Spelman, o segredo no atual momento é tentar identificar dentro de casa os indivíduos de maior potencial, fazer todos os esforços para retê-los e motivá-los ao máximo ( com desafios e premiações) para enfrentar os próximos meses.

Fonte: Época