De jeito nenhum vai faltar luz na Copa do Mundo, sustenta diretor da Aneel

O fornecimento de luz para o evento esportivo está ameaçado em boa parte das cidades-sede

O diretor-geral da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) Nelson Hubner disse nesta terça-feira (22) que "de jeito nenhum vai faltar luz na Copa" do Mundo de 2014. Hubner fez o comentário, pouco antes de entrar em uma reunião na agência, em resposta à matéria publicada hoje no jornal Folha de S. Paulo.


De jeito nenhum vai faltar luz na Copa do Mundo, sustenta diretor da Aneel

De acordo com um relatório da agência finalizado em dezembro e obtido pelo jornal, o fornecimento de luz para o evento esportivo está ameaçado em boa parte das cidades-sede, diferentemente do que vem sustentando o governo.

O documento da Aneel afirma que é necessária a "urgente aceleração do ritmo de implantação das obras". E prevê, aliás, a adoção de "soluções de engenharia alternativas" caso os empreendimentos não fiquem prontos. Elas não são especificadas.

A menos de um ano e meio da abertura dos jogos, mais da metade dos 163 empreendimentos necessários para garantir o fornecimento de energia está atrasada, segundo o documento.

Apenas 2 das 12 capitais que receberão partidas estão com as obras totalmente em dia: Fortaleza e Recife.

Em todas as demais --Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador, Manaus, Cuiabá, Natal e Curitiba-- há atrasos em relação ao cronograma definido pelo governo.

Na lista de empreendimentos há novas linhas de transmissão e de distribuição, além da ampliação e da modernização de subestações de energia. As obras visam evitar apagões tanto nos estádios quanto nos aeroportos e nas ruas das cidades.

As capitais que mais preocupam são Porto Alegre e Brasília. No caso da capital do país, o risco é que haja problemas já na Copa das Confederações, em junho deste ano.

O Ministério de Minas e Energia afirmou, por meio de nota, que "monitora a implantação das obras de distribuição" e que elas "estarão concluídas antes da Copa".

Fonte: Folha