Desorganização dos atacadões prejudica clientes

Desorganização dos atacadões prejudica clientes

Visando facilitar a vida do consumidor, desde o mês de abril o Jornal Meio Norte divulga toda semana a pesquisa de preços .

A desorganização de alguns atacadões é uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos consumidores. A falta de etiqueta de preços ou a fácil visualização das mesmas já virou rotina para quem compra em grandes quantidades nesses estabelecimentos.

Mas uma novidade chamou a atenção na pesquisa realizada pelo Jornal Meio Norte esta semana. Trata-se da exposição de preços diferentes do mesmo produto, no mesmo estabelecimento.

O fato foi constatado no Makro, onde a Coca-Cola em lata estava sendo anunciada por R$ 1,26 na sessão dos refrigerantes e por R$ 1,35 em outra área do atacadão.

A confusão para o consumidor é ainda maior se for considerado o preço da caixa com 12 latas de Coca Cola, que está anunciada no valor de R$ 18,20. Fazendo a divisão, cada lata sai por R$ 1,51, ou seja, um terceiro valor.

No mesmo estabelecimento, o consumidor não conseguia identificar o valor da lata de achocolatado de 400g. Isso porque, na prataleira, estavam expostos o Nescau tradicional e o Nescau 2.0, mas apenas uma etiqueta de preço anunciava o valor de R$ 4,09, dando a entender que o mesmo valor servia para os dois produtos.

Em outra área do atacadão, o Nescau 2.0 estava exposto no valor de R$ 4,14, ou seja, mais caro que o tradicional.

Ranking - Nesta semana, o Makro foi o estabalecimento que expôs preços mais baratos, com o total de R$ 78,15. O Atacadão Carvalho ficou em segundo lugar, com o valor de R$ 83,11, seguido pelo Atacadão Carrefour, com R$ 83,77.

O mais caro foi o Maxxi, com o total de R$ 84,59.



SUPERMERCADO - O consumidor teresinense que busca economia na hora de fazer as compras nos supermercados da capital deve ficar atento a alguns detalhes que, muitas vezes pela correria do dia a dia, passam despercebidos.

Pesquisar os preços em mais de um estabelecimento já é regra e agora, devido à concorrência estimulada pela pesquisa semanal realizada pelo jornal Meio Norte, é preciso verificar se há veracidade na relação preço do caixa versus o preço mostrado na gôndola.

Em mais de um estabelecimento, nossa equipe verificou que ainda é grande o número de casos que levam o consumidor ao erro devido a precificação dos produtos não estarem condizentes.

Nesse ponto, outro fator que ajuda na busca pelos preços baixos, mas sem perder em qualidade é traçar estratégias e verificar os dias em que acontecem as promoções.

No geral, esses dias são segmentados e os estabelecimentos definem a rotina de ofertas por classificação como dia das verduras, das carnes entre outros.

Em Teresina, os preços mais baixos são encontrados justamente nos dias em que a equipe do Meio Norte realiza a pesquisa, todas as segundas e terças-feiras.

Nesta semana o supermercado que apresentou o menor preço para a lista de produtos pesquisados foi o Extra (R$ 292,87), seguido pelo Hiper Bompreço (R$ 302,88) que ficou em segundo lugar com uma diferença de apenas R$ 10,01.

O supermercado Pão de Açúcar (R$ 315,32) ficou em terceiro lugar na lista dos estabelecimentos mais vantajosos e em último está o Comercial Carvalho, com total de R$ 324,26. A diferença do supermercado mais vantajoso para aquele onde se registraram os preços mais caros para o consumidor foi de R$ 31,39.







Fonte: Marcilany Rodrigues e Nayara Felizardo