Devido a Copa do Mundo estimativa é que o consumo de cerveja seja maior que a média

Devido a Copa do Mundo estimativa é que o consumo de cerveja seja maior que a média

Crescimento anual do setor pode saltar de 5% para 10% com evento

Durante a Copa do Mundo, que será disputada entre junho e julho na África do Sul - período de inverno no hemisfério Sul -, as vendas devem ser similares às dos meses de verão, quando o consumo de cerveja é maior que a média.

Segundo o Sindicerv (Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja), os meses de dezembro e janeiro concentram entre 10% e 11% das vendas de cerveja do ano cada um. O superintendente do Sindicerv, Enio Rodrigues, comemora o fato:

- Com a Copa, é como se tivéssemos um mês a mais de verão no ano. Em junho, o esperado é cerca de 6% a 7% do consumo anual, mas agora, com a Copa, há uma projeção de que o ano terminará com crescimento de 7% a 10% das vendas de cerveja, quando o ritmo de crescimento tem sido de cerca de 5% ao ano do mercado nacional.

Segundo a Abrabe (Associação Brasileira de Bebidas), ainda não é possível fazer uma estimativa completa do aumento das vendas, porque há uma série de variáveis que podem influenciar o resultado do setor. Entre eles estão o clima, a condição econômica do País e até mesmo o desempenho da seleção brasileira na competição.

Otimista, Rodrigues acredita que as vendas para o consumidor vão aumentar, assim como o consumo em bares e restaurantes.

- Quem não estiver fazendo o churrasco em casa, vai a um bar assistir aos jogos no telão. Esperamos um boom geral no consumo.

Para aproveitar o potencial crescimento do consumo, as grandes cervejarias apostam em ações de marketing agressivas. Embora nenhuma delas divulgue a projeção do aumento de vendas, todas acreditam em alta do faturamento. A maior das cervejarias, a AmBev, foi mais longe e emplacou uma de suas marcas, a Brahma, como patrocinadora oficial do mundial. Segundo a empresa, a cerveja estampará sua marca nos jogos do Brasil e terá como foco principal, apesar da exposição no exterior, o mercado nacional.

Nas campanhas, a Brahma vai apresentar embalagens especiais, decoradas com uma armadura - já que o slogan da marca evoca o lado guerreiro dos jogadores. Outra marca da AmBev apresenta a maior novidade em relação ao marketing: a Skol está lançando, por conta da Copa, as "latas torcedoras". Com um mecanismo de som que é acionado quando for aberta, a lata passa a gritar cinco cantos de torcida. Ao todo, serão confeccionadas 150 mil latas torcedoras.

Outras bebidas

Mas não é apenas o mercado de cervejas que espera aumento nas vendas. Refrigerantes e outras bebidas alcoólicas também devem pegar carona na Copa do Mundo. Por isso, as empresas apostam no marketing relacionado ao futebol. A Coca-Cola, que é uma das principais patrocinadoras do Mundial desde a edição de 1974, usa a competição para impulsionar as vendas em todo o mundo.

No mercado de bebidas alcoólicas, a Smirnoff lançou latas da bebida Smirnoff Ice com um rótulo alusivo ao torneio, decorada com as cores do Brasil. Também foram lançados kits de torcedores com a Smirnoff Ice ou com uma garrafa tradicional da vodka, somada a aperitivos como salgados, batata frita e amendoim, além de suco de frutas para drinques. A Smirnoff Ice também estará cerca de 20% mais barata durante a Copa. Tudo para tentar roubar o posto da cerveja como a companheira preferida do brasileiro nos jogos de futebol.

Fonte: r7