É possível deixar a casa segura com R$ 40 por ano

É possível deixar a casa segura com R$ 40 por ano

Plano barato oferece cobertura básica, como a proteção contra incêndio, e poucos serviços

Uma apólice de seguro residencial é como um cardápio: você escolhe o que vai querer proteger e quanto vai ter de retorno em caso de acidente ? é o que as seguradoras chamam de indenização. Hoje, as empresas oferecem planos para todos os bolsos, e há opções a partir de R$ 40.

Os planos mais baratos só cobrem a casa contra o risco de incêndio e disponibilizam os serviços mais essenciais, como chaveiro, desentupimento, reparo elétrico e hidráulico, substituição de telhas e reversão de fogão (passar a entrada de gás de rua para botijão ou vice-versa).

As coberturas mais comuns protegem contra raios, explosões de qualquer tipo, queda de aeronave, perda por pagamento de aluguel, danos elétricos, impacto de veículos, vendaval, chuvas e outros desastres naturais. São desses eventos que a seguradora vai avaliar o risco e determinar o prêmio - o valor que segurado paga para a empresa.

Se onde você mora não há rota de avião, esse risco não precisa nem entrar na apólice. Em regiões onde venta muito, como as cidades no Sul do país, os prêmios contra vendavais e desastres naturais (como o furacão Catarina, em 2004) são maiores que os de roubo.

Preço acessível

Marcelo Santana, coordenador de ramos elementares da Porto Seguro, diz que é o próprio segurado quem escolhe a proteção que quer. Ele diz que é possível oferecer pacotes muito baratos, entre R$ 40 e R$ 100.

- O preço depende da importância segurada e do bem. Nós levamos em conta o valor do imóvel para incêndio, por exemplo, mas se o cliente quiser proteger os equipamentos eletrônicos, temos que colocar o valor deles na apólice também.

Valmir dos Santos, diretor da Mapfre Seguros, diz que oito em cada dez vendas dos seguros da empresa no país são para o público da classe média. Isto é, 80% das 55 mil residências que a companhia protege têm preços acessíveis.

- Existem planos mais caros, mas eles são voltados para casa de alto luxo. O que levamos em consideração para avaliar o valor do seguro é o local, quanto o proprietário quer segurar e o tipo de cobertura que ele quer. Só incêndio, é barato. Acrescentando roubo, qual é o total de bens que podem ser roubados?

A Bradesco Seguros é uma das que atua neste segmento. Trata-se de uma apólice de pouco mais de R$ 51 por ano, que protege o imóvel contra os principais riscos e ainda permite ao segurado concorrer a prêmios de loteria.

R7 pesquisa

O R7 fez o levantamento de quanto custa um seguro padrão, com preços aproximados aos praticados no mercado, para um imóvel de dois quartos avaliado em R$ 150 mil. O pacote contempla 14 serviços de assistência e cobertura contra cinco tipos de riscos mais comuns, mas ainda está longe dos R$ 3,30 por mês.

O plano saiu por R$ 400 por ano, ou R$ 33 por mês.

Na hora de fechar um contrato, os especialistas recomendam que cada consumidor verifique as necessidades de cobertura de acordo com seu perfil e procure um corretor que entenda aquilo que está vendendo e seja capaz de explicar cada tipo de risco.

Mais detalhes:

http://noticias.r7.com/economia/noticias/e-possivel-deixar-a-casa-segura-com-r-40-por-ano-20100718.html

Fonte: R7, www.r7.com