Economia brasileira vai crescer 5% em 2012, diz Dilma Rousseff

Segundo presidente, inflação também estará controlada no próximo ano

A presidente da República, Dilma Rousseff, disse nesta sexta-feira (16) que a economia brasileira vai crescer 5% em 2012. Ela falou sobre o assunto em uma confraternização com jornalistas no Palácio do Planalto.

Além do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) na ordem de 5%, a presidente prevê inflação controlada.

Ela disse estar ?otimista? porque, segundo ela, neste ano seu governo teve o ?cuidado de tomar medidas de precaução diante de uma conjuntura [de crise] que não estava muito claro como seria?.

De acordo com estimativa do mercado financeiro presente no boletim Focus, do Banco Central, divulgado na segunda-feira (12), a economia brasileira deverá crescer 3,40% em 2012. A Confederação Nacional da Indústria (CNI), entidade de representação do empresariado, também estima que o PIB terá um crescimento menor do que o previsto pela presidente, de 3%.

Dilma afirmou que o Brasil ?deu um salto no crédito?, apesar de rumores de que o país ?teria problema? nessa área.

De acordo com dados apresentados por ela, os bancos concederam R$ 1,94 trilhão de crédito em 2011 sem precisar recorrer ao Orçamento, uma vez que o Brasil mantém uma alta reserva de compulsórios dos bancos (contribuição obrigatória das instituições bancárias depositada no Banco Central).

?A questão que me permite dizer que sou otimista é que temos recursos públicos para enfrentar [a crise].?

A presidente declarou ainda que o país vai ?atingir sem nenhum problema? o superávit primário de R$ 91,7 bilhões e que terá ?bom fôlego e grande capacidade de manobra?.

Disse também que o Brasil fez uma ?antecipação cautelosa? em relação à crise econômica dos países europeus e que o país ?aprendeu muito com a crise de 2009?. Para Dilma, atualmente a economia brasileira desperta confiança no restante do mundo.

Em relação à crise europeia, disse que o Brasil já passou por ?ajuste fiscal sem luz no fim do túnel e sabemos onde vai dar?. Ela afirmou que a crise deve ser vista como ?oportunidade?. ?Quanto mais a economia esta crescendo, é que nem andar de bicicleta. Parou, caiu.?

Fonte: G1