Em 15 dias de B-R-O-BRÓ, já aumentou em 5% consumo de energia

Calor, muitas vezes insuportável,torna uso dos aparelhos necessário

É difícil o piauiense conviver com as altas temperaturas registradas entre os meses de setembro e dezembro, período denominado popularmente de B-R-O-BRÓ, sem utilizar com maior frequência eletrodomésticos, como ar-condicionado, ventilador ou umidificador de ar. O calor, muitas vezes insuportável, torna o uso dos aparelhos necessário.

Como consequência da intensa utilização dos equipamentos que amenizam a temperatura ambiente, a Eletrobras Distribuição Piauí registrou aumento de 5% no consumo de energia no Estado, somente na primeira quinzena de setembro. A expectativa é que o percentual aumente conforme se estenda a duração do B-R-O-BRÓ.

É um ciclo: aumenta o calor, cresce o consumo e o preço da conta de energia dispara. A cabeleireira Everlange Lucena já está sentindo no bolso o impacto da sequência. Com um ar-condicionado instalado em seu salão de beleza, ela conta que é obrigada a passar o dia todo com o aparelho ligado.

“As clientes não dispensam o uso do ar. Mesmo de manhã cedo eu tenho que ligar porque atrapalha. Elas ficam suadas, a escova no cabelo perde o efeito. Estou pagando valor da conta mais alto, mas é o jeito porque não dá para trabalhar nesse calor sem o ar-condicionado”, disse Everlange.

A dona de casa Maria Pires é outra piauiense que está tendo orçamento “aquecido” pelo B-R-O-BRÓ. A mulher afirma que o valor da fatura de energia elétrica deste mês teve um incremento de R$ 70. “E é porque eu ainda procuro economizar. Uso o ventilador o máximo e o ar-condicionado só ligo quando vou dormir”, conta Maria.

A ação de Maria Pires pode realmente reduzir a conta de luz. De acordo com a Eletrobras-Distribuição Piauí, o ar-condicionado representa de 2 a 5% do valor da fatura.

Para ajudar os piauienses que não suportam o calor no B-R-O-BRÓ a economizar, a empresa orienta que sejam tomados cuidados básicos, como instalar o aparelho em local com boa circulação de ar, manter portas e janelas fechadas, evitando assim a entrada de ar do ambiente externo.

A Eletrobras aponta que a geladeira é um dos equipamentos que mais consomem energia em uma residência. Ela representa, em média, de 25% a 30% do valor da conta. As lâmpadas correspondem 15% a 25% da fatura. Evitar acendê-las durante o dia, aproveitar a luz natural são dicas para reduzir o consumo de energia.

Outro aparelho que incrementa o preço da conta é a televisão. Dados da Eletrobras apontam que a potência média da televisão é de 150 watts, porém, os modelos mais antigos alcançam valores bem maiores. O consumo mensal de energia elétrica de um televisor fica entre 10 e 30kWh, e ele é responsável por 6% da fatura de energia.

“Quanto maior o desperdício de energia, maior é o preço que o consumidor e o meio ambiente pagam por ela. Ao usar a energia elétrica de maneira correta, o consumidor economiza na conta de luz e ainda ajuda o país a preservar suas reservas ecológicas e, consequentemente, a vida do planeta”, orienta a Eletrobras-Distribuição Piauí.

Fonte: Thays Teixeira e Izabella Pimentel