Empresa diz que fãs serão reembolsados por turnê de Michael Jackson em Londres

Parceiro de produtora do show de Michael Jackson garante compensação

O site de venda e troca de ingressos Viagogo, parceiro oficial da produtora AEG Live, anunciou nesta sexta-feira (26) que todos os ingressos para os shows de Michael Jackson em Londres comprados por meio de sua página serão reembolsados. De acordo com o presidente da empresa, Eric Baker, o reembolso será feito ?sem formulários, sem estardalhaço?, diretamente aos fãs.

Centenas de milhares de pessoas esperam nesta sexta-feira (26) ser informadas sobre como receber um reembolso pelos ingressos que compraram para os quase 50 shows que Jackson faria em Londres entre 13 de julho próximo e fevereiro de 2010.

O cantor de 50 anos morreu nesta quinta-feira, em um hospital de Los Angeles, após sofrer uma parada cardíaca em sua casa. Uma autópsia no corpo de Jackson está sendo realizada desde o final da manhã desta sexta para tentar determinar a causa da morte. Resultados do exame toxicológico, no entanto, podem levar mais tempo.

Os responsáveis pelos shows na capital britânica, da empresa AEG Live, disseram que poderiam dar informações sobre o reembolso de ingressos ao longo do dia. "No momento, nossos pensamentos estão com os filhos de Michael, sua família e seus amigos. Anunciaremos detalhes sobre os ingressos no momento certo", diz a organização.

O site Seatwave, que vendeu cerca de 10 mil ingressos, já divulgou em sua página o procedimento para os clientes solicitarem reembolso. É necessário preencher um formulário, que deve ser enviado para a empresa.

A empresa Ticketmaster, a primeira a vender os ingressos, ainda não divulgou como será feito o ressarcimento. Em nota, anunciou que ?não há informações oficiais neste momento. Assim que tivermos qualquer informação, vamos contatar imediatamente os consumidores que reservaram ingressos pela Ticketmaster ou pelo GET ME IN [serviço de venda de ingressos entre fãs]?.

Esta semana, a AEG Live tinha posto à venda ingressos adicionais para os shows, cuja corrida programação, tinha despertado temores de que o artista não pudesse cumprir todos os compromissos.

Fãs que garantiram ingresso agora sonham com tributo

Sem muitas informações, fãs ouvidos pelo G1 em Londres esperam para decidir o que vão fazer. O estudante dinamarquês Thomas Thomasen, de 22 anos, que faz mestrado em Londres, tinha ingressos para um dos shows programados para setembro e quer pedir reembolso, mas aguarda para saber se haverá algum show de tributo em que possa utilizar os ingressos.

O estudante comprou as entradas para o show junto com três amigos da Dinamarca pelo site da Ticketmaster, num concorrido sorteio. ?Meus amigos já até compraram as passagens para vir a Londres, vamos esperar para ver se haverá a possibilidade de ver outro show?, diz.

O santista Arthur De Lio, de 20 anos, também espera para saber como usará os ingressos. ?Se fizerem uma espécie de tributo, com vários artistas cantando as músicas dele, eu topo trocar?, diz.

De Lio aguardava o show com ansiedade e organizou uma viagem à Europa com o irmão só por causa da apresentação de Michael Jackson. ?Já compramos as passagens de cidade para cidade. A viagem continua por enquanto. É muita coisa para cancelar. O prejuízo seria muito grande?, diz o estudante, que viajará em julho para a Europa com o irmão e o pai.

Venda mais rápida da história

Os ingressos para os shows de despedida de Michael tiveram o ritmo de venda mais rápido da história em Londres, e calcula-se que cerca de 750 mil tenha adquirido entradas.

Segundo os organizadores, os ingressos foram vendidos a uma média de 11 por segundo, 657 por minuto e quase 40 mil por hora, quando começaram a ser comercializados, em março passado.

Os ingressos oficiais para o show foram vendidos por preços entre 55 e 75 libras (R$ 176 e R$ 240). Pacotes que incluíam festas e champanhe chegaram a custar 790 libras (R$ 2.530).

Até o meio desta tarde, no horário de Londres, a empresa AEG Live, produtora do show, ainda não havia divulgado informações sobre o que será oferecido aos fãs.

No site do O2 Arena, onde seriam realizados os 50 shows de Michael Jackson, a página com os termos e condições da venda de ingressos informa que, em caso de cancelamento de eventos, é oferecido reembolso do valor de face dos ingressos. Ainda de acordo com os termos, os clientes devem entrar em contato com o ponto de venda onde compraram suas entradas.

O jornal "The Times" apresenta, porém, dúvidas sobre a capacidade da empresa AEG Live de arcar com os custos de reembolso de todas as entradas. De acordo com o jornal inglês, há relatos de que a empresa de entretenimento só teria feito seguro dos dez primeiros shows. Os outros quarenta eventos teriam sido assegurados pela própria AEG. Citando como fonte a revista Reinsurance, o jornal diz que os custos para a AEG poderiam somar até 300 milhões de libras (R$ 961 milhões).

Para quem comprou por meios não oficiais, como no site de leilões eBay, o reembolso não é garantido. Nesse caso, existe a possibilidade de recuperar o investimento se o pagamento foi feito com cartão de crédito ou através do chamado PayPal. O eBay recomendou nesta sexta que os compradores liguem para os vendedores para negociar um reembolso.

Ingressos vendidos em sites de leilões chegaram a custar 1.000 libras (R$ 3.200).

Autópsia hoje

O corpo do cantor Michael Jackson, que morreu na tarde de quinta-feira após sofrer parada cardíaca e ser levado às pressas para um hospital de Los Angeles, foi submetido à autópsia no final da manhã desta sexta-feira (horário de Brasília).

Segundo a agência de notícias Associated Press, os resultados dos exames, no entanto, só serão úteis quando os testes toxicológicos estiverem prontos, o que deve levar dias e até semanas. A polícia de Los Angeles investiga o caso.

O cantor de 50 anos não estava respirando quando os paramédicos chegaram à sua casa e quando ele deu entrada no hospital em estado de coma.

A morte de Jackson foi confirmada pelo porta-voz do Instituto Médico Legal de Los Angeles, Fred Corral, em entrevista à rede de TV CNN pouco antes das 20h30, horário de Brasília.

"Posso dizer neste momento que fomos informados por investigadores do Departamento de Polícia de Los Angeles Oeste que Jackson foi levado (...) para o hospital. Ao dar entrada, estava sem os sinais vitais e foi declarado morto por volta das 14h26 esta tarde [18h26, horário de Brasília]", declarou Corral à CNN.

"Até onde eu sei, fomos informados por investigadores da polícia de Los Angeles que Jackson foi levado pelos paramédicos para o hospital com uma parada cardíaca severa, e que depois foi declarado morto", informou o porta-voz do IML.

Em declaração pública no hospital a que Michael Jackson foi levado, em Los Angeles, o irmão do cantor Jermaine Jackson, disse que uma equipe de médicos do Centro Médico UCLA passou uma hora tentando ressucitar o rei do pop.

Jermaine confirmou que os bombeiros encontraram Jackson com uma parada cardíaca, mas disse que ainda não se sabe o que causou isso. "Nossa família pede que a mídia respeite nossa privacidade ness momento difícil."

O porta-voz do corpo de bombeiros de Los Angeles, Devin Gales, disse que os paramédicos atenderam a um chamado feito no endereço do cantor às 12h21 locais.

Michael Jackson, que completou 50 anos em agosto de 2008, havia anunciado em maio o adiamento de alguns dos shows de uma extensa temporada que ele faria em Londres neste ano.

O adiamento das datas aumentou as especulações de que Jackson estaria sofrendo de problemas de saúde.

Em declarações à CNN, Brian Oxman, advogado e amigo da família, explicou que Michael, enquanto se preparava para o show que tinha previsto fazer no próximo dia 13 em Londres, tomava remédios para tratar de lesões em uma vértebra e em uma perna depois de uma queda no palco.

Ele disse que alertou as pessoas próximas ao cantor para as possíveis consequências da medicação, que inclusive representou um obstáculo para os ensaios.

Michael Jackson nasceu em 29 de agosto de 1958 em Gary, Indiana, o sétimo de nove irmãos. Cinco dos irmãos Jackson - Jackie, Tito, Jermaine, Marlon e Michael - apresentaram-se juntos pela primeira vez num programa de calouros quando Michael tinha 6 anos. Eles levaram o primeiro prêmio.

O grupo mais tarde se tornou o The Jackson Five, e, quando assinou contrato com a gravadora Motown Records, no final dos anos 1960, passou por uma metamorfose final, tornando-se The Jackson 5. Pelo mesmo selo, Michael lançou seu primeiro álbum solo em 1972, "Got to be there".

De lá até 2001, o cantor gravou outros oito álbuns solo, incluindo "Off the wall" (1979), produzido pelo lendário Quincy Jones, e "Thriller" (1982), que ficou 37 semanas consecutivas no primeiro lugar das paradas e é considerado o álbum mais vendido de todos os tempos -- os números variam de acordo com a fonte, de 50 milhões a cerca de 100 milhões de cópias.

"Thriller" - que ganhou uma reedição comemorativa em 2008 - é uma das principais responsáveis por imortalizar pérolas pop como ?Billy Jean? e ?Beat it?. Ao todo, sete canções chegaram ao topo das paradas de sucesso nos Estados Unidos. O álbum deu origem ainda a um dos clipes mais cultuados desta era. Dirigido por John Landis, o vídeo da faixa-título mostra o astro pop se transformando em zumbi e traz a risada sinistra de Vincent Price, que assombrou muitos adolescentes no início dos anos 80.

Outros álbuns incluem "Bad" (1987), "Dangerous (1991) e "Invincible" (2001). No total, segundo cifras divulgadas nos Estados Unidos, Michael Jackson vendeu 750 milhões de discos.

Fonte: g1, www.g1.com.br