Estado do Piauí receberá novas empresas no próximo ano de 2016

A ampliação do parque da Chapada do Araripe abre as expectativas.

A criação de novos postos de trabalho, bem como o desenvolvimento econômico do Piauí, são prioridades do Governo do Estado para o ano de 2016. Mesmo com o ambiente desafiador que se apresenta, os diálogos para a chegada de novos investimentos evoluem e trazem novas perspectivas para o próximo ano.

Image title

Dentre as iniciativas prevista para 2016, está a implantação do projeto Terracal, o maior projeto privado de área irrigada do Brasil. São 37 mil hectares de cana de açúcar e tomate, voltados para a produção de energia, açúcar, álcool e pasta de tomate. Com a iniciativa, devem ser gerados 3 mil empregos diretos, no processo de implantação e operação.

Na área de produção de energia, a ampliação dos parques eólicos, na região da Chapada do Araripe, deve duplicar a extensão do parque, aumentando consideravelmente a produção de energia limpa no estado, saindo dos 700 megawats produzidos atualmente para 3.000 megawats. Os investimentos no complexo alcançam os 6 bilhões de reais.

A ampliação do parque da Chapada do Araripe traz consigo novos investimentos de base. Duas novas fábricas, uma de torres eólicas, a ser implantada no município de Picos, e outra de aerogeradores, que deve ser implantada em Parnaíba, vão fortalecer o ramo de infraestrutura desse setor.

Um projeto piloto, argentino, no ramo de apicultura, voltado para a produção de colmeias, também deve ser implantado em Picos ainda em 2016.

“Há uma congruência entre os diversos elementos que são atrativos para os investidores, como a infraestrutura logística do estado, que tem a construção de uma ferrovia em andamento, e que está bem próximo de 3 importantes portos (Pecém, Itaqui, Suape). Soma-se a isso, as boas condições de estradas, a retomada dos aeroportos, além de uma política fiscal bastante competitiva e também uma política ambiental em que a Semar se prontifica em dar uma resposta competente e rápida”, ressaltou a assessora estratégica para Investimos do Governo do Piauí, Lucile Moura.

O governo do Estado ainda discute o projeto de implantação do Porto Seco de Teresina. O Estado aguarda a concessão da Receita Federal para realizar a construção da Estação Aduaneira do Piauí, obra orçada em 8 milhões é de primordial importância para a economia do Piauí.

Fonte: Ascom