Feirão: Negócios atingem R$ 22 milhões no 1º dia

Feirão: Negócios atingem R$ 22 milhões no 1º dia

A 1ª Feira de Imóveis e Construção do Piauí More Bem, que acontece hoje e amanhã no Empório João XXIII, foi aberta na sexta pela manhã com uma feliz notícia para construtores, corretores, imobiliárias e para quem deseja adquirir o imóvel dos sonhos. A Caixa Econômica, o principal patrocinador do evento, espera superar a marca dos R$ 100 milhões em negócios com habitação nos três dias do feirão. No primeiro dia, foram fechados mais de R$ 22 milhões com a negociação de, pelo menos, 100 imóveis.

No desenlace da fita de inauguração da feira, houve um fato inusitado. O casal Emanoel Araújo Ernesto da Costa e Francisca Maria, que há algum tempo buscam, sem sucesso, financiamento para ampliar a residência, ajudaram a liberar o acesso aos estandes. Ambos juntaram a renda, que somou R$ 1.200, e agora, com as facilidades oferecidas pela Caixa, esperam conseguir a melhoria habitacional.

O superintendente da Caixa Econômica no Piauí, Herbert Buenos Aires, disse que, caso os negócios ultrapassem os R$ 100 milhões previstos, não faltará dinheiro para financiamentos. Ele falou que a feira, que tem rapidez na análise do cadastro, facilidades de financiamentos, prazos de até 360 meses para o pagamento, taxas de juros vantajosas e um grande leque de opções de imóveis no mesmo local, é um fato inédito no Piauí.

?Nunca tivemos tantas vantagens no Brasil. Não há burocracia e as pessoas que estão vindo à feira têm a opção de fazer a escolha do imóvel na própria imobiliária?, explica Herbet. Ele falou que a feira reúne também 50 empregados da Caixa que fazem atendimentos, simulações, análise e liberações de financiamentos.

O gerente regional de Construção Civil da Caixa, Emanuel do Bonfim Veloso Filho, disse que a instituição oferece facilidades para quem deseja adquirir a casa própria. Segundo ele, isso se traduz em atendimento rápida para a concessão de crédito e juros baixos. Na Caixa, há crédito para reforma, ampliação, financiamento de imóveis pré-fabricados e operações de crédito para todas as faixas de renda.

?Para buscar o financiamento na Caixa, a pessoa precisa entregar a Identidade, CPF e comprovantes de residência e renda (três últimos contracheques). Caso seja autônomo, deve levar declaração do Imposto de Renda, fatura de cartão de crédito e extrato da conta bancária, caso tenha. Estes documentos ajudam na comprovação da renda?, explica Emanuel.

A abertura da feira, que contou com a presença do superintendente da Caixa Econômica no Piauí, Herbert Buenos Aires, do prefeito Sílvio Mendes, do secretário estadual de Fazenda, Antônio Neto, e do coordenador de Comunicação Social do Governo do Estado, Wellington Soares, do consultor de jornalismo do Grupo Meio Norte de Comunicação, José Osmando de Araújo, do Diretor Comercial do Grupo Meio Norte de Comunicação, Edilson Carvalho, e do diretor do Sindicato da Construção Civil, Francisco Reinaldo, foi marcada pela realização de muitos negócios nos estandes de construtoras, imobiliárias, da Caixa Econômica e das empresas de material de construção.

A 1ª Feira de Imóveis e Construção do Piauí More Bem, que é realizada pelo Grupo Meio Norte de Comunicação e coordenada pelo apresentador Ieldson Vasconcelos e Paulo de Tarso, conta com o apoio do Governdo do Estado e da Prefeitura de Teresina e com as parcerias de construtoras, imobiliárias, empresas de material de construção e corretores.

-Feira cumpre função social, diz secretário

Por se notabilizar como a porta de acesso ao crédito facilitado para a realização do sonho da casa própria, a 1ª Feira de Imóveis e Construção do Piauí More Bem foi elogiada pelos visitantes e agentes do governo. O secretário Estadual de Fazenda, Antônio Net o, disse que o evento cumpre ampla função social ao contribuir para que a população tome conhecimento sobre a nova política habitacional do país e do Piauí.

Segundo ele, o país passou a ter, através do governo do presidente Lula, uma política habitacional nunca visita antes em solo brasileiro. O secretário explicou que as ações voltadas para a moradia devem consistir em uma política permanente, o que é um grande desafio para o governo.

O coordenador de Comunicação Social do Governo do Estado, Wellington Soares, disse que a feira é um evento de extrema importância para os piauienses por incentivar a economia e facilitar o acesso das pessoas à casa própria.

?O Grupo Meio Norte de Comunicação está de parabéns pela iniciativa. É importante frisar que, através da Caixa, que tem vários modelos de financiamentos, a pessoa já sai da feira com o contrato assinado?, acrescentou.

Ele falou que o Governo do Estado está apoiando o ev ento, através da Agência de Desenvolvimento Habitacional(ADH), que repassa as informações aos visitantes sobre o programa Minha Casa, Minha Vida que vai atender a demanda da população do Piauí por moradias.

-Casal busca financiamento para reformar casa

A costureira Francisca Maria, que ajudou a desenlaçar a fita da entrada de acesso à 1ª Feira de Imóveis e Construção do Piauí More Bem, no primeio dia, no Empório João XXII, foi ao estande da Caixa Econômica para pedir financiamento para reforma e construir três cômodos em sua casa. O evento acontece hoje e amanhã.

Ela disse que hoje está mais fácil conseguir financiamento e que a meta é conseguir junto à Caixa R$ 40 mil. Segundo ela, antes da nova política habitacional do governo, buscou recursos em três ocasiões, mas não teve êxito.

O esposo de Francisca Maria, Emanuel Araújo Ernesto da Costa, disse que está terminando de pagar as prestações de uma mo to e resolveu juntar sua renda com a da mulher para conseguir o financiamento.

?Tenho a esperança que, juntando as duas rendas, o que dá uns R$ 1.200, vamos conseguir o financiamento para ampliar a nossa casa. Primeiro, queremos ver um valor que dê para pagar. É o tipo da coisa, a gente só coloca o chapéu onde a mão alcança?, falou Ernesto.

Quem também esteve na feira ontem para conseguir um financiamento para reformar sua casa foi a viúva e pensionista Lúcia Ribeiro da Silva. Ela buscou informações no estande da ADH, onde ela foi orientada a visitar o estande da Caixa Econômica. Lúcia, que mora na Cidade Jardim, disse que deseja conseguir R$ 3 mil para comprar areia, cimento, cerâmica, tijolos e uma janela.

Fonte: Djalma Batista, Jornal Meio Norte