Greve dos bancários atrasa vendas para Dia das Crianças

No comércio de Teresina, muitos lojistas já avaliam que as vendas para o Dia da Criança podem ser menores por causa da greve nos bancos

Outubro chegou e com ele o Dia da Criança. Mas uma das datas preferidas pelos comerciantes nesta época do ano corre o risco de não ser uma das melhores.

A movimentação pela procura de presentes está boa, porém ainda baixa em relação ao ano passado. A expectativa dos comerciantes é que as vendas melhorem com a proximidade do dia 12 e assim aqueçam o mercado.

O maior problema para o que está acontecendo é, segundo gerentes de lojas no Centro Comercial de Teresina, a greve dos bancários, iniciada dia 19 de setembro e sem data definida para o término.

A categoria rejeitou a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste de 6,1%, sem aumento real. Com isso, as pessoas que necessitam dos serviços bancários para conseguir dinheiro e ir às compras estão sendo prejudicadas.

?Até agora não houve um fluxo maior. Este ano está bem mais fraco, estive conversando com alguns clientes e eles me falaram que a greve dos bancários tem atrapalhado muito nessa questão das compras.

Mas também ainda é começo de mês, acredito que nos próximos dias a situação irá melhorar?, espera o gerente de uma loja de roupas e calçados infantis, Roberto Braga.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado do Piauí (Sindilojas), a greve tem atrapalhado a maioria das operações e se não fosse ela, as vendas estariam maiores. ?Há outras operações que estão comprometidas, trazendo um estrangulamento grande da economia.

Ainda bem que temos as alternativas, como os caixas eletrônicos e correspondentes bancários. A situação já foi pior quando não tinha eles, mas ainda fica longe de atender a demanda?.

O gerente Roberto Braga acrescenta que muitas pessoas também deixam para comprar em cima da hora, seja por conseguirem o dinheiro só nos próximos dias ou até mesmo pelo tempo de que dispõem para se dedicarem às compras.

Mas para outros comerciantes, a procura vai bem, chega até ser maior que anos anteriores. De acordo com Renê Cláudio, gerente de uma loja de brinquedo da capital, a procura está intensificada, mesmo com a greve dos bancos, e por isso, neste ano, a loja antecipou a compra de muito material para ter um estoque variado.

?Muitas pessoas vêm comprar para presentear e para fazer doações também. Por isso nossas expectativas são boas, já que as vendas chegam a aumentar em 30%.

Com isso, já estamos bem preparados para atender a demanda?, diz. Ele acrescenta que o Dia da Criança é a segunda data que mais aquece o mercado, perdendo apenas para o Natal, e que por isso acredita em boas vendas neste ano, apesar da greve.

Alguns consumidores antecipam as compras

Alguns clientes dos estabelecimentos comerciais do Centro Comercial de Teresina não acreditam que a greve nos bancos atrapalhe tanto quem deseja presentear os filhos no Dia da Criança. Muitos já até compraram as lembranças, aproveitando o começo do mês e a movimentação nas lojas ainda pequena.

"Quanto mais perto do dia, pior para comprar. O centro fica muito movimentado e nem dá pra escolher os melhores presentes e apesar dessa greve, acho que dá para dar um jeitinho e comprar o presente dos nossos filhos", comenta a dona de casa Juliana Lopes.

Outro que assim como Juliana também já deu um jeito de comprar os presentes dos filhos e sobrinhos foi Antônio Araújo. Ele usou os caixas eletrônicos para sacar dinheiro e assim não vai deixar a data passar em branco. "A greve dos bancários, realmente, atrapalha a movimentação, mas temos outras alternativas e com elas podemos encontrar uma forma para presentear as crianças".

Fonte: DJALMA BATISTA E FLÁVIA ARAÚJO