Grupo de empresários do Paraná investirá em avicultura no Piauí

O grupo pretende instalar uma indústria com capacidade para abater 100 mil frangos por dia

Um novo grupo empresarial deverá instalar-se no Piauí em breve. Trata-se do grupo Globoaves, de Cascavel (PR), que atua no ramo da avicultura. Segundo o diretor da Globoaves, José Saldi Kaefer, o grupo pretende instalar uma indústria de grande porte, com capacidade para abater 100 mil frangos por dia, gerando 1.500 empregos diretos e cerca de 10 mil indiretos no Piauí. A implantação dessa indústria significaria um investimento entre R$ 80 milhões e R$ 100 milhões.

José Saldi Kaefer e o engenheiro agrônomo Rogério Rizzardi, da Coopavel Cooperativa Agroindustrial ? igualmente de Cascavel (PR) ?, foram recebidos pelo governador e sua equipe no Palácio de Karnak, nessa quinta-feira (04). Wellington Dias deu as boas-vindas aos visitantes e garantiu que o Governo do Estado concederá os incentivos necessários à implantação desses empreendimentos na região Sul do Piauí ? mais precisamente no município de Baixa Grande do Ribeiro.

Rogério Rizzardi informou que o Globoaves pretende estabelecer-se no Piauí em função das potencialidades econômicas do Estado, que detém aquela que é considerada a última grande fronteira agrícola do mundo, com cerca de nove milhões de hectares agricultáveis. O engenheiro agrônomo paranaense observou também que o grupo empresarial deseja investir no Piauí por considerá-lo mais próximo dos grandes mercados internacionais, como a Europa e a Ásia.

Exportação de frangos

O diretor da Globoaves observou que o objetivo maior do grupo no Piauí é produzir e exportar frangos, com padrão internacional de qualidade, para países como a China, o Japão e a Coréia do Sul e ainda algumas nações da União Européia. Essa exportação aconteceria através dos portos de Itaqui, em São Luís (MA), Pecém, em Fortaleza (CE), e Suape (PE). O governador, durante a reunião com os executivos, fez uma apresentação dos investimentos infraestruturais a serem feitos na região.

Wellington Dias mostrou aos empresários do Paraná onde será construída a Ferrovia Nova Transnordestina, que interligará a cidade de Eliseu Martins e os portos de Pecém e Suape. O governador também mostrou que será construído um novo trecho da Nova Transnordestina, interligando Eliseu Martins e a cidade de Estreito (MA), possibilitando uma conexão com a Ferrovia Norte-Sul, que corta os estados do Pará, Maranhão, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Foram igualmente mostrados aos executivos, mapa sobre a mesa de reuniões do Salão Azul do Palácio de Karnak, os investimentos em cinco hidrelétricas no rio Parnaíba, permitindo uma hidrovia confiável para o escoamento de grãos e outros produtos por meio de balsas. São investimentos incluídos no Programa de Aceleração do Crescimento II (PAC II), que será lançado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no próximo dia 23.

Opções rodoviárias

Os empresários ficaram muito satisfeitos com as informações, já que pretendem transportar a produção de frangos em Baixa Grande do Ribeiro através da Ferrovia Nova Transnordestina. Por outro lado, Wellington Dias mostrou que haverá alternativas rodoviárias, como a Rodovia Transcerrados, com 330 quilômetros de extensão, e outras rodovias federais ? BR-135, BR-235, as rodovias federais entre Bom Jesus, Guaribas e Caracol, etc.

O governador colocou à disposição do grupo Globoaves o apoio do Governo do Estado, através de órgãos como a Secretaria do Desenvolvimento Rural (SDR) e o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). O coordenador de Projetos Estratégicos do Governo do Estado, Jorge Lopes, que participou do encontro com os empresários do Paraná, também foi designado para atender o grupo Globoaves no que for necessário à concretização de seus investimentos no Piauí.

Também participaram do encontro o diretor geral do Emater, Francisco Guedes, e o secretário do Desenvolvimento Rural, Rubem Martins, entre outras autoridades. De acordo com Rogério Rizzardi, o Globoaves quer primeiramente plantar milho ? matéria-prima da avicultura ? em área entre 10 mil e 12 mil hectares nos cerrados piauienses. Essa seria a primeira etapa. Numa segunda etapa, o grupo se concentraria na produção de frangos caipiras, fornecidos pela agricultura familiar.

Grupo Globoaves

Finalmente, é que seria implantado o frigorífico com capacidade para abater até 100 mil frangos por dia. O grupo Globoaves é uma empresa com faturamento anual em torno de R$ 1 bilhão, com 7.360 funcionários, espalhados por 12 estados brasileiros. É o maior produtor de ovos e pintos da América Latina e exporta frangos para vários países da América Latina, América do Norte, Europa e Ásia.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br