Impacto de reajuste da Petrobras será zero, diz Sincopetro

Governo reduziu tributo para evitar alta de preços dos combustíveis

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), Alberto Gouveia, avaliou nesta sexta (28) que o reajuste no preço dos combustíveis anunciado pela Petrobras não deverá ter impacto no preço das bombas de combustível.

Segundo ele, o corte nas alíquotas de Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) incidentes sobre a gasolina e o óleo diesel deverão compensar o reajuste nos preços da gasolina e do diesel vendidos nas refinarias.

""Para as distribuidoras, o impacto desse reajuste será zero. É só o repasse da Cide", disse José Alberto Gouveia, presidente do Sincopetro.

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira que irá reajustar, a partir de 1º de novembro, os preços da gasolina e do diesel vendidos nas refinarias. O preço da gasolina, antes da incidência de tributação, terá alta de 10%. Já o diesel será reajustado em 2%.

Mais cedo, o Ministério da Fazenda anunciara que vai reduzir as alíquotas da Cide incidentes sobre a gasolina e o óleo diesel. A partir de 1º de novembro de 2011 e até 30 de junho de 2012, as alíquotas da gasolina passarão de R$ 0,192 por litro para R$ 0,091 por litro e do óleo diesel de R$ 0,07 por litro para R$ 0,047 por litro.

Segundo Gouveia, se houver alguma mudança será no cálculo no valor pago de ICMS pelas distribuidoras. Mas, de acordo com o sindicato, a mudança não deverá ter efeito para o consumidor.

Ele destacou ainda que o reajuste da Petrobras já era de certa forma esperado. "A Petrobras já estava precisando aumentar o preço e não mexia no preço desde 2009", afirmou.

Fonte: G1