Inflação do aluguel desacelera alta a 0,37% na primeira prévia para janeiro

Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 0,38%, nos primeiros dez dias de janeiro

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), utilizado para reajustar os contratos de aluguel, subiu 0,37% na primeira prévia de janeiro, ante elevação de 0,32% no mesmo período de dezembro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 0,38%, nos primeiros dez dias de janeiro. No mesmo período do mês de dezembro, o índice variou 0,26%. A taxa de variação do índice referente a bens finais avançou de 0,02% para 0,16%. Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,10% para 0,61%.

O índice referente a matérias-primas brutas registrou variação de 0,38%. No mês anterior, a taxa foi de 0,81%. Os itens que mais influenciaram a trajetória deste grupo foram: soja (em grão) (1,89% para -1,41%), leite in natura (-0,55% para -3,24%) e mandioca (aipim) (1,49% para -3,27%). Com taxas em sentido ascendente, destacam-se: minério de ferro (0,47% para 1,77%), café (em grão) (2,07% para 8,61%) e bovinos (0,61% para 1,70%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou taxa de variação de 0,49%, no primeiro decêndio de janeiro. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,47%. Duas das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação, contribuindo para a aceleração do IPC.

A maior contribuição partiu do grupo transportes (0,16% para 1,00%) pelo comportamento do item gasolina, cuja taxa passou de 0,03% para 4,05%. Também registrou acréscimo o grupo saúde e cuidados pessoais (0,42% para 0,45%). O item que mais influenciou este movimento foi medicamentos em geral (-0,18% para 0,34%).

Em cada classe, as principais contribuições para estes movimentos partiram dos itens: passagem aérea (33,18% para -8,06%), roupas (0,91% para 0,20%), tarifa de telefone móvel (0,63% para 0,10%), alimentação fora (0,91% para 0,47%), cigarros (0,90% para 0,58%) e tarifa de eletricidade residencial (0,99% para 0,11%), respectivamente.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou taxa de variação de 0,06%, abaixo do resultado do mês anterior, de 0,36% neste mês. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços teve alta de 0,13% enquanto, no mês anterior, a taxa foi de 0,26%. O índice que representa o custo da mão de obra não registrou variação, em janeiro. No mês anterior, este índice registrou taxa de 0,44%.

Fonte: Terra