Investidores embolsam lucro e Bolsa despenca; dólar tem ganho

Investidores embolsam lucro e Bolsa despenca; dólar tem ganho

As ações da Petrobras perderam o fôlego

Os investidores aproveitam a sexta-feira (9) para embolsar lucro na Bolsa brasileira, dando sequência a um movimento iniciado no dia anterior. As ações da Petrobras perderam o fôlego que esboçavam até o início da tarde e deixaram de impedir uma queda maior do mercado acionário local.

Às 14h36, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, caía 0,31%, a 53.270 pontos.

Segundo operadores, a queda desta sexta-feira é motivada pela realização de lucros no mercado local. "Hoje ainda é um dia de realização, o que não é ruim, caso a Bolsa se consolide nesse patamar de 53 mil pontos", diz Marcio Cardoso, sócio-diretor da Easynvest Título Corretora.

Para André Moraes, analista da corretora Rico.com.vc, a Bolsa passa hoje por uma correção. "O Ibovespa veio de um processo de altas fortes nos últimos meses. Além disso, os bancos ganharam muito peso depois da mudança de metodologia do Ibovespa. Eles estão ajudando a puxar o mercado para baixo", avalia.

Boa parte da alta verificada nos últimos dois meses tem relação com a divulgação de pesquisas eleitorais que apontam para uma queda na intenção de votos na presidente Dilma Rousseff. Como reflexo disso, as ações de estatais tendem a ganhar fôlego, com os investidores avaliando que uma eventual vitória da oposição possa reduzir a intervenção nessas empresas, afirmam analistas.

Nesta sexta-feira foi divulgada nova pesquisa que aponta nessa direção. Segundo o Datafolha, Dilma aparece com 37% das intenções de voto, seguida por Aécio, com 20% -que tinha 16% no início de abril.

Apesar de ter variado na margem de erro, a curva de Dilma não é estável. Ela tem recuado gradualmente nos levantamentos do Datafolha -enquanto seus dois principais rivais estão em ascensão.

"A pesquisa é boa, pois mostra um embate maior e a possibilidade de segundo turno com mais força. Isso agrada aos investidores, pois eles estão insatisfeitos com a política do atual governo", avalia Cardoso, da Easynvest Título Corretora.

Mas nem a divulgação da pesquisa ajuda a Bolsa a se manter em terreno positivo hoje. Às 14h37, as ações preferenciais da Petrobras, as mais negociadas, subiam 0,05%, a R$ 17,89. No mesmo horário, as ordinárias, com direito a voto, subiam 0,41%, a R$ 16,89.

Às 14h37, os papéis do Banco do Brasil tinham queda de 0,79%, a R$ 23,75, enquanto as ações preferenciais da Eletrobras caíam 4,40%.

A petrolífera anunciou hoje que concluiu a perfuração do último poço exploratório da cessão onerosa no pré-sal da Bacia de Santos, comprovando a existência do volume contratado de 5 bilhões de barris de óleo equivalente (boe).

Segundo o comunicado, foram perfurados 16 poços exploratórios distribuídos nas seis áreas da Cessão Onerosa com índice de sucesso de 100%.

A cessão onerosa é um acordo entre União e Petrobras que envolveu antecipação de recursos da empresa em troca de petróleo. Ele foi firmado durante a última capitalização da estatal.

Para Moraes, da Rico, o anúncio tem menos influência sobre os papéis da petroleira do que a divulgação da nova pesquisa eleitoral. "O dado favorece, pois mostra que a empresa está produzindo mais, mas alta volatilidade dos papéis está mais ligada aos desdobramentos das pesquisas que estão saindo", avalia.

Outro dado divulgado nesta sexta-feira foi o IPCA (índice oficial de inflação) de abril, que mostrou desaceleração em relação a março, quando o indicador avançou 0,92%, na maior alta para o mês desde 2003.

O IPCA subiu 0,67% em abril e fechou o quadrimestre com alta de 2,86%. No acumulado dos últimos 12 meses, o avanço ficou em 6,28% -pouco abaixo do topo da meta do governo para 2014, de 6,5%.

"O IPCA ajuda também a limitar a queda da Bolsa, pois uma desaceleração indica que o Banco Central pode deixar os juros inalterados na reunião de maio", avalia Eduardo Velho, economista-chefe da Invx Global.

A BM&FBovespa anunciou na quinta-feira resultado do primeiro trimestre do ano, no qual obteve lucro de R$ 256,1 milhões, queda de 4,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

O resultado faz com que as ações da empresa caiam 0,25%, a R$ 11,70, nesta sexta.

No exterior, a China divulgou dados de inflação. Os preços ao consumidor no país subiram 1,8% em abril ante o ano anterior enquanto que os preços ao produtor caíram 2,0%.

Embora os números tenham ficado em linha com previsões, ainda foi o aumento mais lento nos preços ao consumidor em 18 meses, enquanto a deflação ao produtor persistiu, salientando uma demanda fraca.

DÓLAR

O dólar opera em alta ante o real nesta sexta-feira. Às 14h38, o dólar à vista, referência no mercado financeiro, subia 0,71%, a R$ 2,220. O dólar comercial, usado no comércio exterior, tinha alta de 0,40%, a R$ 2,223.

O Banco Central deu continuidade às suas intervenções diárias e ofereceu 4.000 contratos de swap cambial -equivalentes à venda futura de dólares- ao mercado, vendendo 1.200 com vencimento em 1º de dezembro deste ano e 2.800 em 2 de março de 2015. A operação somou US$ 198,5 milhões.

No fim da manhã, serão ofertados até 5.000 contratos de swap com vencimentos em 1º de abril e 1º de junho do próximo ano. Até agora, a autoridade monetária já rolou cerca de 10% do lote total que vence em 2 de junho, equivalente a US$ 9,653 bilhões.

Fonte: Folha