Lucro do Bradesco é o 3º maior da história no Brasil

Maior lucro, até hoje, fora registrado pelo Banco do Brasil, em 2009

O lucro liquido contábil de R$ 10,022 bilhões em 2010 informado pelo Bradesco nesta segunda-feira (31), até hoje, é o terceiro maior da história dos bancos de capital aberto brasileiros, segundo aponta levantamento da consultoria Economatica, com base nos balanços apresentadas à Comissão de Valores Mobililiários (CVM).

O maior lucro da historia dos bancos brasileiros fora registrado em 2009, pelo Banco de Brasil, que chegou a R$ 10,148 bilhões, seguido pelo Itaú Unibanco, com R$ 10,067 bilhões, também em 2009. "Até o momento, o Bradesco tem 4 dos 10 maiores lucros da história dos bancos, Itau Unibanco e Banco do Brasil tem 3, cada.

O Bradesco fechou o quarto trimestre com alta de 37% no lucro líquido (contábil) na comparação com o mesmo período de 2009. O segundo maior banco privado do Brasil registrou lucro líquido de R$ 2,987 bilhões nos três últimos meses de 2010 ante ganho de R$ 2,181 bilhões no quarto trimestre de 2009. No terceiro trimestre de 2010, a instituição financeira registrara lucro de R$ 2,527 bilhões.

Em bases recorrentes (lucro líquido ajustado), o banco registrou lucro de R$ 2,684 bilhões no último trimestre de 2010, representando um aumento de 45,9% sobre o mesmo período do ano anterior e de 6,6% sobre o terceiro trimestre de 2010.

Em todo o ano de 2010, o lucro líquido contábil do Bradesco somou R$ 10,022 bilhões, crescimento de 25,1% na comparação com 2009.

O resultado do trimestre foi apoiado em uma expansão de 20,2% da carteira de crédito, que terminou o ano em R$ 274,227 bilhões. Já pelo critério expandido, que considera principalmente operações com grandes empresas, a carteira avançou 23%, para R$ 293,555 bilhões.

Já a despesa com provisão para devedores duvidosos (PDD) registrou queda de 14,8% no quarto trimestre, na comparação anual, para R$ 2,295 bilhões. Sobre o terceiro trimestre houve aumento de 11,5%.

Segundo o banco, os indicadores de inadimplência da instituição, porém, "fixaram-se no menor patamar dos últimos oito trimestres". O índice baseado em operações vencidas há mais de 90 dias fechou o trimestre passado em 3,6%, uma queda de 1,3 ponto percentual na comparação anual e praticamente estável ante os 3,8% do terceiro trimestre.

O Bradesco terminou 2010 com R$ 637,485 bilhões em ativos totais, crescimento de 25,9% sobre 2009.

Panamericano

O Bradesco negou nesta segunda que seja credor do Panamericano e descartou rumores sobre o interesse na aquisição do banco de Silvio Santos. ?Não somos credores do Panamericano?, disse o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, durante teleconferência com jornalistas sobre os resultados do banco em 2010.

?Não fomos, nem no passado e nem no presente, um banco interessado na aquisição do Panamericano?, afirmou o executivo, ressaltando que o banco já tem operações próprias nas áreas de especialidade do Panamericano: crédito consignado e financiamento de veículos.

De acordo com Trabuco, a relação do Bradesco com o Panamericano se limita à compra de carteiras de crédito, uma operação considerada por ele como ?recorrente? no mercado e que não foi afetada após o escândalo contábil do banco de Silvio Santos.

Trabuco preferiu não abrir os valores das carteiras adquiridas do Panamericano, mas garantiu que o montante está ?muito abaixo de 1%? da carteira total de crédito, que atingiu R$ 274,22 bilhões em dezembro.

Fonte: g1, www.g1.com.br