Mais 5 mil empregos criados no PI

Mais de 5 mil são colocadas no mercado de trabalho no Piauí

 O serviço de intermediação de mão-de-obra, realizado pela Secretaria do Trabalho e Empreendedorismo (Setre), através do Sistema Nacional de Emprego (Sine) no Piauí, colocou no mercado de trabalho 5.289 trabalhadores em todo o Estado só no ano passado.

O número reflete o bom momento que vive o Piauí. De acordo com a gerente de intermediação do Sine, Tais Sousa de Galiza, o número de vagas disponíveis superou esse número. Foram 8.374 vagas captadas, ao todo. “No entanto, a quantidade de trabalhadores colocados no mercado de trabalho foi menor devido à qualificação dos mesmos ser inferior aos requisitos de alguns empregos”, explica.

O Sine é um dos órgãos mais procurados pelo trabalhador que está em busca de emprego. Só em 2009, 16.697 trabalhadores procuraram o Sine para se inscrever no Estado. Trabalhador da pecuária, servente de obras, pedreiro e vendedor foram as profissões mais procuradas. “Encaminhamos quase 15 mil trabalhadores para seleção em diversas empresas. A procura é tão grande que tivemos empresas de São Luís e Curitiba, por exemplo, procurando por trabalhadores.

A base é três candidatos para uma vaga”, revela Tais Sousa. Diariamente, o órgão faz a captação de vagas de empresas interessadas na mão-de-obra qualificada, para assim fazer o encaminhamento do profissional, de acordo com cada demanda e perfil do trabalhador.

Além do serviço de intermediação, o Sine fornece ainda outros serviços totalmente gratuitos como expedição da carteira de trabalho e previdência social, seguro-desemprego e qualificação profissional, através de cursos organizados pela Setre. Projetos que visam criar e gerar renda para o trabalhador piauiense durante todo o ano é o principal objetivo do Sine.

Tais Sousa ressalta, ainda, que todos os dias o site do Sine é atualizado com a Bolsa de Emprego. “Para concorrer a uma das vagas, é preciso estar cadastrado no banco de dados do Sine e, assim, obter orientação profissional, informações sobre o mercado de trabalho e qualificação, além das demandas das empresas que procuram o Sine. O trabalhador pode saber quais as vagas ofertadas, pelo site sine.pi”, finaliza.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br