Mel e cajuína são destaque em feira no RJ

O Brasil, formado por 4,1 milhões de propriedades familiares

Os cariocas conheceram a diversidade e qualidade da produção do Brasil Rural Contemporâneo durante a V Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária, promovida pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), que foi realizada no período de 26 a 30 de novembro, na Marina da Glória, no Rio de Janeiro (RJ).


O Brasil, formado por 4,1 milhões de propriedades familiares, que respondem 70% dos alimentos consumidos diariamente pelos brasileiros, foi representado no Rio de Janeiro por 550 grupos de produtores de todos os estados. Foram 384 grupos de agricultores familiares, 43 de assentados da reforma agrária, dez de extrativistas, 51 de mulheres agricultoras, sete de pescadores artesanais, 17 de povos indígenas, 14 de quilombolas e 24 grupos mistos, ou seja, que exercem duas ou mais atividades.


O Piauí esteve representado nessa feira pela Casa Apis e Cocaju, informou o delegado regional do MDA, no Estado, Adalberto Pereira. Ele acrescentou que produtos da cadeia produtiva do mel e do caju piauiense foram destaque nesse evento considerado de fundamental importância para a divulgação e comercialização dos produtos da agricultura familiar que oferece alimentos saudáveis para a população. Além do mel de qualidade dos municípios do Piauí, a cajuina e o doce de caju foram vendidos no Rio de Janeiro. Segundo Adalberto Pereira, durante essa feira no Rio de Janeiro, também aconteceu o Encontro Nacional dos Agentes de Leitura do Programa Arca das Letras, sendo que o Piauí enviou 8 representantes para o evento. O Brasil Rural Contemporâneo levou a maior exposição e venda de produtos da agricultura familiar brasileira a um grande centro consumidor e reforça o debate sobre a produção de alimentos saudáveis e de qualidade.


A Feira Nacional da Agricultura Familiar e da Reforma Agrária chega ao Rio de Janeiro como um evento consolidado. As quatro edições realizadas em Brasília (DF) reuniram 1.798 empreendimentos agroindustriais e artesanais, movimentaram R$ 40 milhões e proporcionaram, nas Rodadas de Negócios, acordos entre 290 empreendimentos da agricultura familiar e 164 compradores, entre redes de supermercados, hotéis e restaurantes. Nas quatro edições, 335 mil pessoas visitaram os estandes, compraram e saborearam produtos e se divertiram com espetáculos e apresentações culturais.


A V Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária é realizada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), com patrocínio da Caixa Econômica Federal, do Banco do Nordeste, do Banco do Brasil, do BNDES, da Petrobras, da Eletrobras, do Sebrae, da Abimaq, da Anfavea, da Fundação Banco do Brasil e da Ubrabio. Conta, ainda, com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro; da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro; do Instituto Latinoamerica para o Desenvolvimento da Educação, Ciência, Arte e Cultura; e da Fundação Universitária de Brasília. Estrutura da Feira O Brasil Rural Contemporâneo ocupou, de 26 a 30 de novembro, 25 mil metros quadrados na Marina da Glória, um dos cartões postais e palco de eventos de grande porte do Rio de Janeiro. A produção de agricultores familiares e assentados da reforma agrária de todo o país foi exposta em estandes individuais e coletivos, distribuídos em cinco ambientes que reproduzem estilos e características das regiões Centro-Oeste, Norte, Nordeste, Sudeste e Sul.

Fonte: CCOM