Milho é alternativa para criadores afetados pela seca no Piauí

Milho é alternativa para criadores afetados pela seca no Piauí

Com o preço da ração animal muito alto, os pequenos criadores podem optar pela compra do milho subsidiado.

Através de um programa que já vem sendo trabalhado há tempos muitos criadores afetados pela seca que atinge o Piauí têm a possibilidade de diminuir um de seus problemas.

Com o preço da ração animal muito alto, os pequenos criadores podem optar pela compra do milho subsidiado, que é feita pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Desde 1997 o programa Venda em Balcão trabalha apenas com o milho. Segundo o gerente de Operações da Conab, José Mendes, este é um programa permanente da Conab, que agora está tendo muita visibilidade devido ao problema da estiagem que o Estado enfrenta hoje. A maior procura tem sido observada desde o fim do ano passado, e de forma mais intensa em janeiro desse ano.

?A procura pelo grão aumentou de forma considerável em todos os pontos e a tendência é que essa procura aumente ainda mais no segundo semestre.

A Conab garante a esses criadores a saca de milho por R$ 18,12, que se manterá fixo até o fim do ano?, destaca Mendes. Teresina, Parnaíba, Picos e Floriano são os municípios que possuem os galpões de estocagem do milho da Conab.

Só no galpão da capital do Estado, por dia, são vendidas mais de 180 mil toneladas, e são atendidos cerca de 60 criadores. Para poder comprar o milho subsidiado, disponível pela Conab, os criadores devem se enquadrar como pequenos e médios criadores, pois a destinação do milho é apenas para ração animal.

?A compra do milho precede de um cadastro. Os interessados devem preencher esse cadastro, que é disponível na Conab ou procurar o Sindicato dos Trabalhadores Rurais ou a Emater do seu município, já que estes são parceiros do programa?, diz o gerente ressaltando que aproximadamente, mais de 10 mil criadores já possuem o cadastro.

No cadastro preenchido pelo criador, a Conab estabelece a quantidade de grãos que cada criador pode comprar, que pode chegar a um teto de três mil quilos mês.

O número de animais, documentação civil do criador e localização da propriedade são algumas das informações necessárias para o preenchimento do cadastro.

Fonte: Érica Maciel Paz e Aline Damaceno