Montar negócio em casa exige cuidado, alertam especialistas

A opção de trabalhar em casa com o próprio negócio já é realidade

A opção de trabalhar em casa com o próprio negócio já é uma realidade para muitos brasileiros. A estratégia é confirmada através de dados divulgados pelo Serviço Brasileiro de Apoio as Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Dos 3,5 milhões de microempreendedores individuais (MEI), 48,6% trabalham na própria residência. No entanto, é preciso seguir algumas regras para que o sonho não acabe em pesadelo. Os dados positivos refletem que a casa proporciona comodidade, flexibiliza horários, além de reduzir gastos. Porém, antes de tudo, é preciso planejamento para que os gastos que, no início foram reduzidos, não gerem prejuízos no futuro.

De acordo com Francisco Holanda, Gerente da Unidade de Atendimento Individual e Mercado do Sebrae no Piauí, os interessados em trabalhar em casa devem seguir algumas dicas. “Ele precisa se cercar de informações sobre o produto, o setor, o mercado e a concorrência. Paralelo a isso, é importante se capacitar nas áreas de gestão e empresarial. Juntando as duas coisas ele vai montar um plano de negócio”, afirma.

O Plano de Negócio é um dos principais componentes para abrir um bom negócio, pois ele diminui os riscos de prejuízo e proporciona mais segurança. Segundo o Gerente, a ferramenta deve conter todas as ideias referentes a empresa. “O Plano minimiza possíveis problemas, pois o indivíduo saberá se o negócio é viável ou não”, comenta.

Além disso, os valores de cada empreendimento variam de acordo com o setor. “O próprio negócio vai mostrar quanto vai custar partir do plano de negócios. Varia muita, cada caso é um caso”, explica Holanda

Dicas para montar um negócio no lar

Muitas dúvidas cercam as pessoas que desejam montar um negócio em casa, pois para ter sucesso é necessário seguir algumas regras. Através da internet é possível pesquisar e obter informações sobre o mercado, fornecedores, preço da matéria-prima a ser comercializada e concorrência.

Além disso, como qualquer outro empreendimento, é importante fazer um estudo da região onde vai ter o negócio (casa) e buscar saber se o produto tem aceitação ou não e se os fornecedores das matérias primas vão realmente suprir a necessidade individual.

Francisco Holanda, gerente de unidade do Sebrae, explica que, antes de tudo, o interesse deve seguir dois lados. “É preciso identificar a atividade que a pessoa gosta, tanto pessoalmente quanto profissionalmente. A partir dai, terá que procurar entender como a atividade funciona”, finaliza. Seguindo as regras, o negócio será um sucesso e, futuramente, se expandir.(

Capacitação é oferecida para empreendedores

Parece fácil, porém montar o próprio negócio em casa pode se tornar uma tarefa complexa. Por isso, o Sebrae no Piauí conta com cursos voltados aos microempreendedores com intuito de tirar dúvidas e, assim, seguir com o empreendimento desejado.

O Programa de Orientação ao Candidato e Empresário (Próprio) é composto por cinco módulos e tem como objetivo proporcionar assessoria completa para abrir um negócio. As orientações abrangem a análise de perfil empresarial e conhecimentos sobre como planejar o negócio, em especial a residência como ponto de trabalho.

O programa Microempreendedor Individual (MEI) tem como intuito capacitar o público-alvo para melhorar a gestão de seus negócios.”O MEI possui oficinas voltadas sobre o que comprar, vender, dentre outras. Todas são gratuitas e têm como objetivo levar subsídios para abrir um negócio”, explica o Gerente Francisco Holanda.

Já o Empretec é um seminário desenvolvido pela Organizações Não Governamentais (ONU) e, no Brasil, é realizado pelo Sebrae. O seminário é voltado para quem deseja abrir um negócio maior e estruturado através de uma metologia vivencial e interativa com jogos, exercícios e debates. Todos os programas podem ser encontrados no Sebrae Teresina. A sede fica localizada na Avenida Campos Sales, 1046, Centro Norte.

Fonte: Djalma Batista e Daniely Viana