Novo Cross Fox ganha onze opções de cores e visual limpo dignos do queridinho da Volks

O apreço da Volkswagen pelo carro está na sua participação de mercado: a versão corresponde a 30% das vendas totais do modelo Fox

Penúltimo lançamento da Volkswagen em 2010 ? o último será a nova picape Amarok, prevista para dezembro ? o Cross Fox ganhou repaginação digna de um ?queridinho? da marca. O modelo tem design mais limpo, com frente agressiva e harmonioso conjunto de grade e pára-choque com farol de neblina embutido. O suporte do estepe também é novo e, além de ser destravado pela chave, não possui parafusos ou hastes aparentes. No interior, o painel é o destaque do modelo, que ganhou ainda novos revestimentos de bancos e portas e pedais cromados.

O apreço da Volkswagen pelo carro está na sua participação de mercado: a versão corresponde a 30% das vendas totais do modelo Fox e possui a liderança (26,6%) do segmento de carros com apelo aventureiro, que já soma 110 mil unidades por ano. O modelo concorre com o Fiat Palio Adventure, Peugeot Escapade, Nissan Livina X-Gear, Citroën XTR, entre outros. O novo CrossFox sairá a partir de R$ 45.550. Com o ar-condicionado, o preço começa por R$ 49.390. O modelo equipado com todos os opcionais sai por R$ 57 mil.

De acordo com o diretor de design da Volkswagen, Luiz Alberto Veiga, o novo visual foi inspirado na anatomia do tubarão. ?É um animal bravo e, ao mesmo, tempo astuto e elegante?, diz Veiga. Em outras palavras, o que a equipe de design tentou fazer é simplificar o visual do carro e deixá-lo atrativo tanto para as pessoas que adoram cair na estrada de fim de semana quanto para aquelas assumidamente urbanas.

Disponível em 11 cores e equipado com motor 1.6 de 104 cv de potência, o modelo traz de série direção hidráulica, trio elétrico (vidro elétrico nas quatro portas, retrovisores elétricos, travamento central e alarme) e computador de bordo com sete funções. Como opcional estão ar-condicionado, teto solar, banco de couro, airbag duplo, sistema de freio ABS, entre outros.

TESTE DRIVE

O G1 andou no Cross Fox por vias acidentadas e asfaltadas na região da estrada da Serra do Mar, em São Bernardo do Campo (SP). Como no antigo Cross Fox, a posição de dirigir é o destaque do modelo. O banco alto, a regulagem de altura do volante e a boa visibilidade dianteira garantem o conforto nas manobras e para enfrentar horas de estrada ou trânsito. O câmbio mecânico macio também é um ponto favorável ao bem-estar ao dirigir.

Na parte mecânica, o modelo não sofreu alterações. A suspensão absorve bem os trancos em trechos acidentados e, por ser elevada, evita que o carro raspe em obstáculos como pedregulhos, galhos de árvores, valetas e buracos. O motor tem comportamento satisfatório em arrancadas e muito fôlego para ultrapassagens rápidas.

A ergonomia dos bancos é boa e o novo tecido que os reveste tem textura agradável. O mesmo tecido é usado no acabamento das portas, porém elas destoam do resto do visual do carro, por ter rebarbas e design pobre. No interior do veículo os materiais plásticos dominam. No painel, o único detalhe que combina com o visual externo é o conjunto de instrumentos, com detalhes em azul, e o visor do computador de bordo.

Embora ouse no visual, a Volks foi conservadora o suficiente para não perder os clientes já conquistados. O carro continua a ser o Cross Fox de sempre, com suas qualidades, assim como o novo Fox. Mas pela reação das pessoas nas ruas, a repaginação mais moderna deu certo - o carro foi até fotografado por curiosos. Se chamar a atenção foi o real objetivo da mudança proposta pela Volks, os designers acertaram em cheio.

Fonte: g1, www.g1.com.br