Ovos de Páscoa chegam às lojas até 10% mais caros, o dobro da inflação

Ovos de Páscoa chegam às lojas até 10% mais caros, o dobro da inflação

Os ovos da Lacta, por exemplo, que produziu 28 milhões de produtos, subiram em média 10% na comparação com o ano passado

Os ovos de Páscoa vão chegar às lojas e supermercados até 10% mais caros neste ano, segundo os fabricantes.

Para efeito de comparação, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado de março de 2013 (mês da Páscoa no ano passado) até janeiro deste ano foi de 4,96%.

Nesta terça-feira (18), as empresas anunciaram as novidades para a data no Salão de Páscoa, promovido em São Paulo pela Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab).

Dólar impacta cacau, embalagem e brinde

Segundo os fabricantes, o principal motivo do aumento de preços foi a alta do dólar, que teve impacto no valor do cacau (cotado na Bolsa de Nova York, nos Estados Unidos) e do petróleo (matéria-prima de boa parte das embalagens).

Os ovos da Lacta, por exemplo, que produziu 28 milhões de produtos, subiram em média 10% na comparação com o ano passado, segundo o gerente de marketing, Maykon Vieira.

As fabricantes de chocolates Top Cau e Munik preveem alta entre 8% e 10% nos preços.

Todos os anos, a Top Cau aposta com força em licenciamentos de personagens infantis e brindes para as crianças. O dólar tem impacto direto nos preços também por causa desses brindes, que são todos importados da China, diz Alaís Fonseca, gerente de marketing da empresa.

O Grupo CRM, dono das marcas Kopenhagen e Brasil Cacau, informa que seus produtos vão chegar às lojas de 6% a 7% mais caros. A empresa diz que tentou absorver parte do aumento nos preços das matérias-primas e não repassou tudo ao consumidor final.

Nestlé, Garoto e Cacau Show também dizem que os preços vão subir menos do que a média. No caso da Nestlé, o aumento médio nos preços dos ovos em 2014 foi de 5,5%; a Garoto reajustou os valores em 5%, em média; e a Cacau Show fala em aumento médio de 4%.

Expectativa é de aumento de até 30% nas vendas

Apesar da alta dos preços, os fabricantes de chocolates esperam crescimento nas vendas neste ano, sobretudo por causa do aumento do consumo da nova classe média brasileira.

A expectativa do Grupo CRM (Kopenhagen e Brasil Cacau) é vender 30% mais do que em 2013. A Cacau Show prevê alta de 24% nas vendas, e a Munik, de 20%.

A Garoto, que renovou 100% do portfólio de Páscoa para oferecer apenas produtos associados à Copa do Mundo (a marca é uma das patrocinadoras oficiais do evento), espera faturar 10% mais neste ano, na comparação com a Páscoa do ano passado.

Fonte: UOL