Pesquisa feita pelo Jornal Meio Norte diz que preços sobem em toda Teresina

Pesquisa feita pelo Jornal Meio Norte diz que preços sobem em toda Teresina

Para conseguir achar os preços mais baixos e tentar escapar da alta geral, a melhor solução para o consumidor é visitar a maior dos supermercados

Nas últimas semanas, a população ficou mais informada em relação à alta dos preços após os dias em que se realiza a pesquisa semanal nas quatro grandes redes de supermercados da capital.

O tomate foi um dos alvos e se tornou manchete em todo o país e também nas redes sociais por conta do aumento de preço e acabou tendo seus valores diminuídos, em especial às segundas e terças.

É justamente esse cuidado de pesquisar que os consumidores têm observado e são estimulados a cultivar, já que é cada dia mais importante que as pessoas desenvolvam o hábito de pesquisar preços a fim de garantir economia.

Para driblar a alta nos preços dos alimentos, além das pesquisas, os consumidores também podem recorrem à mudança de hábitos, substituindo marcas famosas por mais baratas e até optar por frutas e legumes da época, por exemplo. Segundo especialistas, essa é uma alternativa bastante inteligente para evitar os preços elevados.

A checagem de preços em dias alternados realizada nesta semana identificou que houve um aumento nos preços - comparado ao que foi verificado durante a segunda e terça-feira - em todos os quatro supermercados pesquisados.

O Hiper Bompreço e o Comercial Carvalho, que registraram uma queda nos preços e decréscimo na semana anterior, nesta semana registraram um aumento nos valores de 1,72% e de 2,48%, respectivamente.

O Supermercado Pão de Açúcar ocupou a posição de maior variação percentual comparativa em relação aos preços registrados na segunda e terça-feira (27 e 28 de maio) com um aumento para o total de itens pesquisados de 14,19%, mas ficou em terceiro lugar com o valor mais vantajoso para a cesta de itens de R$ 134,73.

O Extra registrou a segunda maior variação percentual (10,34%), mas ainda assim obteve o menor valor para o total dos itens pesquisados (R$ 127,88).

Auditoria revela aumento significativo em 2 atacadistas

Na conferência dos preços de 12 dos itens pertencentes à pesquisa Meio Norte, muitos mantiveram os mesmos índices observados ao longo do levantamento feito na segunda e na terça. Com isso, a ordem do ranking foi mantida: O Atacadão aparece novamente em primeiro, seguido por Makro, Maxxi e Carvalho Mercadão.

Na soma dos itens considerados nesta auditoria (cujo levantamento foi feito na quarta), o Atacadão registrou R$ 25,79, praticamente o mesmo índice da soma dos produtos na pesquisa original (que totalizou R$ 25,76), configurando um aumento de apenas 0,1%. O Makro, por sua vez, registrou uma pequena queda de preços, saindo de R$ 27,73 para 27,49 (diminuição de 0,86%).

No Maxxi, o percentual de aumento foi de 1,47% (a soma anterior dos produtos analisados foi de R$ 27,82, contra R$ 28,23 da auditoria). Por fim, o Carvalho registrou o maior aumento, ao sair de R$ 28,76 para R$ 29,21 (+ 1,56%).

A auditoria foi prejudicada pela falta de alguns itens anotados na pesquisa original, a exemplo do arroz Tipo 1 Aro (5 kg) no Makro, o que inviabilizou que o item arroz fosse considerado no levantamento.











Fonte: Marcilany Rodrigues e Dowglas Lima