Petrobras reduz meta de produção de petróleo até 2016

As ações da Petrobras (PETR3 e PETR4) despencavam nesta segunda-feira.

No Plano de Negócios 2012-2016, apresentado nesta segunda-feira (25), a Petrobras decidiu reduzir a meta de crescimento da produção de petróleo em relação ao plano anterior, do ano passado. Se no plano 2011-2015, os objetivos eram chegar a 3,07 milhões de barris por dia em 2015 e a 4,91 milhões em 2020, no novo planejamento as metas são mais realistas: 2,5 milhões de barris diários em 2016 e 4,2 milhões em 2020.

?Historicamente, a Petrobras não cumpre suas metas de produção. (...) Temos, como uma de nossas conclusões, que nosso plano esteja sendo trabalhado em metas ousadas, que se mostraram ano a ano metas não realistas?, disse a presidente da empresa, Graça Foster.

Para o ano passado, por exemplo, a meta era 2,1 milhões de barris por dia, mas a Petrobras conseguiu produzir uma média de apenas 2,02 milhões.

As ações da Petrobras (PETR3 e PETR4) despencavam nesta segunda-feira, com o mercado mostrando decepção com o reajuste dos preços de gasolina e diesel e acompanhando o detalhamento do novo plano de negócios da estatal para o período de 2012-2016.

Redução de custos

Durante o detalhamento do plano de negócios, Graça Foster disse também que a Petrobras precisa reduzir custos com estoques e importações. "Nós precisamos reduzir os custos operacionais e não apenas o custo da festa de Natal no fim do ano para os empregados", afirmou ela.

A estatal deve manter seu nível de endividamento abaixo de 35% do capital da empresa. Segundo a presidente, a Petrobras prevê redução de 1 milhão de barris diários de petróleo na nova curva de produção. Anteriormente era projetada uma queda de 700 mil barris diários.

"A estatal incorporou mais 1 bilhão de barris de petróleo às suas reservas no ano passado e fez 63% das descobertas globais em águas profundas", acrescentou Graça Foster.

Metade das sondas esperadas estão atrasadas

Na entrevista desta segunda-feira, o diretor de Exploração e Produção da estatal, José Formigli, afirmou que metade das 14 sondas esperadas pela Petrobras para este ano estão atrasadas.

A empresa tem 19 novos projetos de produção de petróleo até 2016 e 38 projetos previstos até 2020.

No novo orçamento da Petrobras, US$ 90 bilhões vão para desenvolvimento da produção e US$ 25 bilhões para exploração, disse o diretor. Segundo ele, a redução da eficiência da Bacia de Campos é uma das principais causas da redução da curva de produção de petróleo projetada para os próximos anos.

Fonte: UOL