Piauí é o maior produtor de pó de Carnaúba do Nordeste; saiba

W. Dias identificou 26 arranjos de grande potencialidade.

O governador Wellington Dias se reuniu, nessa segunda-feira (8), com representantes da empresa Brasil Ceras; o secretário do Desenvolvimento Econômico, José Icemar Lavor Néri (Nerinho), e representantes da Secretaria do Planejamento (Seplan), e da Secretaria do Desenvolvimento Rural (SDR), para discutirem e planejarem estratégias para o desenvolvimento do setor produtivo da carnaúba.

Image title

O Piauí é o maior produtor de pó de Carnaúba do Nordeste, sendo responsável por cerca de 60% da produção. Dentre as utilizações dessa matéria-prima destaca-se o uso como películas de hortifruti, na fabricação de cosméticos e como isolante térmico.

Para o governador Wellington Dias, o desafio aceito por ele é cuidar da economia do Estado e, por isso, identificou 26 arranjos de grande potencialidade que podem ajudar a alavancar a economia. "São 26 áreas com grande potencial para abastecer o mercado interno e externo. A carnaúba é, por exemplo, o terceiro produto mais exportado. No entanto, precisamos organizar melhor este setor, toda a cadeia produtiva, e gerar emprego e renda, trazendo desenvolvimento", enfatiza.

De acordo com o secretário do Desenvolvimento Econômico, Nerinho, ao exportar apenas a matéria-prima a economia do Piauí perde.

"Nesse sentido, serão orientados editais para pesquisa, profissionalização da mão de obra e investimentos para apoiar a produção e industrialização. Atualmente, exporta-se a matéria-prima e depois importamos os produtos após industrializados a preço de ouro. Acreditamos que, se organizarmos esse setor, o Piauí dará um salto na sua economia", explica.

O representante da empresa Brasil Ceras, José Luiz Felix, disse que o interesse do governador Wellington Dias em ouvir as demandas é muito importante. " Temos uma potencialidade que precisa ser trabalhada desde a profissionalização até a exportação. O Piauí pode ser um grande exportador de produtos manufaturados e gerar emprego e renda", disse.

Fonte: Ascom