Pouca organização atrapalha consumidor com falta de preços; confira pesquisa

Pouca organização atrapalha consumidor com falta de preços; confira pesquisa

A falta de informações prejudica o bem-estar do consumidor, que fica sem saber o preço correto do produto desejado

Uma semana após a última pesquisa realizada nos supermercados e atacadões da capital, a situação permanece idêntica: alguns estabelecimentos sofrem com a falta de etiquetas de preço fixada nas gôndolas.

Valores divergentes entre o que é mostrado nas prateleiras e o que é anunciado nas ilhas de desconto também foram constadados nesta semana. A prática atrapalha as compras e o bem-estar do consumidor, que fica desorientado com a divergência de valores.

Apesar de ter perdido força e ser o estabelecimento a apresentar a menor quantidade de produtos mais em conta, o Atacadão Carrefour continua a ser o destino certo para o freguês que deseja mais economia.

A sacola de compras totalizou R$ 117,21, mais de R$ 10 a menos que o último colocado. Mesmo com aumento de alguns itens, os alimentos como leite em pó, feijão preto, amido de milho e refrigerante da marca Coca-Cola são mais atrativos no Atacadão.

O Makro Atacado recupera uma posição e retorna ao segundo lugar. Com diferença menor que R$ 2 ao primeiro colocado, alguns produtos de limpeza estão com preços vantajosos. Sabão em pó, água sanitária, esponja lava-louça, detergentes das marcas Limpol e Veja possuem preços mais vantajosos.

O Maxxi Atacado aparece em terceiro lugar e desponta como o estabelecimento que apresenta a maior quantidade de produtos com valor mais elevado que nos outros locais pesquisados. As compras somaram R$ 120,27 e, além dos produtos de limpeza, nenhum ítem de necessidade básica aparece entre os mais baratos.

O Carvalho Mercadão mais uma vez ocupa o último lugar. O estabelecimento reagiu e apresentou baixa em diversos produtos, mas não foi suficiente para retirá-lo da quarta colocação.

Catchup, molho de tomate, creme de leite, milho verde, óleo de cozinha, sabonete, creme dental e leite em caixa estão com valores atrativos e mais acessíveis que nos outros lugares.

SUPERMERCADOS - Alguns itens essenciais no prato do teresinense apresentaram preços equilibrados em comparação com a última pesquisa. Contudo, ao utilizar a pesquisa de preços realizada pela equipe de reportagem do Jornal Meio Norte, o consumidor tem em mãos uma forma eficaz de garantir a economia e comprar produtos com o melhor custo-benefício.

Na pesquisa realizada nas quatro principais redes de supermercados tivemos as posições equilibradas. Os supermercados Hiper Bompreço e Extra vêm se revezando na primeira e segunda colocação.

Esta semana temos o Extra na primeira posição, com total de R$ 305,17. Em seguida, o Bompreço, com total de R$ 319,06 para o total de itens pesquisados.

Em terceiro lugar na pesquisa temos o Comercial Carvalho, com total de R$ 320,35. Ocupando o posto de supermercado menos vantajoso, com os preços mais caros para a lista pesquisada, está o Pão de Açúcar (R$ 326,93).

A diferença do supermercado com total de preços mais barato para o que apresentou o total mais caro ficou de R$ 21,76.


Pouca organização atrapalha consumidor com falta de preços; confira pesquisa

Pouca organização atrapalha consumidor com falta de preços; confira pesquisa

Pouca organização atrapalha consumidor com falta de preços; confira pesquisa

Pouca organização atrapalha consumidor com falta de preços; confira pesquisa

Pouca organização atrapalha consumidor com falta de preços; confira pesquisa

Pouca organização atrapalha consumidor com falta de preços; confira pesquisa

Fonte: Marcilany Rodrigues e Olegário Borges