Preços têm leve alta com inflação na cesta básica dos teresinenses; veja tabelas

Preços têm leve alta com inflação na cesta básica dos teresinenses; veja tabelas

Tanto nos atacados quanto nos supermercados, os preços de vários produtos subiram

A pesquisa de preços realizada semanalmente pelo jornal Meio Norte nas quatro grandes redes de supermercados presentes em Teresina continua e já faz parte da rotina dos leitores para garantir preços mais baratos. Outro ponto positivo é que com a pesquisa de preços, o consumidor tem uma ferramenta que o auxilia na hora de decidir onde comprar.

Nesta semana, alguns produtos vêm pesando no orçamento doméstico por apresentarem leves altas nos preços, motivados em especial pela volta da inflação que tem onerado as despesas com alimentação. A falta de preço dos produtos nas gôndolas e a desorganização dos produtos nas prateleiras são alguns problemas encontrados em alguns dos supermercados pesquisados.

Contudo, um alerta que se faz aos consumidores diz respeito a um problema grave em relação ao posicionamento de preços para produtos de embalagens menores, orientando produtos em embalagens grandes, fato que induz o consumidor ao erro. O consumidor vê o preço do produto mais barato, mas a embalagem que está exposta não corresponde ao preço visto e é de um produto maior e por isso a atenção do cliente deve ser redobrada.

Nesta semana, o supermercado que teve o melhor desempenho de preços foi o Extra, justamente por oferecer preços mais atrativos para a maioria dos itens da lista, com total de R$ 294,21. O segundo colocado com preços mais atrativos foi o Hiper Bompreço (R$ 305,70), que também teve vários produtos em destaque por oferecer preços menores, que são destacados em azul na tabela. Em terceiro lugar do ranking ficou o Pão de Açúcar, com total de R$ 313,80 para os itens listados. Já o supermercado que mostrou pior desempenho em termo de economia foi o Comercial Carvalho com um total de R$ 322,70 tendo os preços mais caros destacados em vermelho.

Preços nos atacados também aumentam ? Em relação à pesquisa realizada na última semana, os atacados registraram ligeira alta no preço de alguns produtos. O Maxxi Atacado toma a dianteira e apresenta os menores preços para a população com cesta de compras no valor de R$ 69,14.

O Maxxi tem 18 alimentos mais baratos que em qualquer outro estabelecimento, dentre eles sabonete, amaciante, leite em pó, amido de milho, macarrão, leite condensado, creme de leite, achocolatado e café. Da lista, apenas quatro itens estão desvantajosos em relação a outros mercados.

O Atacadão Carrefour permanece em segundo lugar. Nesta semana as compras somaram R$ 70,48, com 16 itens mais em conta e sete produtos mais caros. Os destaques do Atacadão incluem a maior variedade de produtos e rápida reposição dos alimentos fora de estoque. Lá é mais barato comprar arroz, sardinha, papel higiênico, creme dental, óleo de cozinha e feijão.

O Carvalho Mercadão, que na última semana havia conquistado o posto de local mais econômico, caiu para a terceira posição. Apesar da boa variedade de produtos, algumas mercadorias apresentam grandes diferença de preço no comparativo com as outras lojas. Para se ter um exemplo, o papel higiênico pesquisado está R$ 11,41 mais caro que no estabelecimento mais vantajoso. O Carvalho Mercadão possui 19 produtos com valor mais elevado que em qualquer outro atacadão.

O Makro cai para último lugar e nesta semana é o atacado que apresenta mais itens de quantia desvantajosa: 17 produtos, como molho de tomate, cafér, achocolatado, açúcar e óleo de cozinha estão mais caros que nos outros estabelecimentos. O carrinho de compras do Makro Atacado esta semana foi de R$ 76,36.


Preços têm leve alta com inflação na cesta básica dos teresinenses; tabelas

Preços têm leve alta com inflação na cesta básica dos teresinenses; tabelas

Preços têm leve alta com inflação na cesta básica dos teresinenses; tabelas

Preços têm leve alta com inflação na cesta básica dos teresinenses; tabelas

Preços têm leve alta com inflação na cesta básica dos teresinenses; tabelas

Preços têm leve alta com inflação na cesta básica dos teresinenses; tabelas

Fonte: Marcilany Rodrigues e Olegário Borges