Prévia do PIB surpreende e registra aumento de 0,36% no mês de fevereiro

O IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses.

Depois de uma queda de 0,11% em janeiro de 2015 no Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), o País voltou a crescer em fevereiro e registrou expansão de 0,36% ante o mês imediatamente anterior. Apesar da melhoria entre um mês e outro, a previsão da autoridade monetária para o ano fechado ainda é de retração de 0,5%, como contra no último Relatório Trimestral de Inflação.

O IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. Entre os componentes do indicador estão a Pesquisa Industrial Mensal e a Pesquisa Mensal do Comércio, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice de atividade calculado pelo BC passou de 145,50 pontos no primeiro mês do ano para 146,03 pontos agora na série dessazonalizada.

O resultado do IBC-Br ficou acima da mediana das estimativas dos 30 analistas do mercado financeiro consultados pelo AE Projeções, da Agência Estado (-0,22%), e fora do intervalo de -0,85% a +0,20%. Na série observada, é possível identificar uma queda de 0,97% nos 12 meses encerrados em fevereiro. Na comparação entre os meses de fevereiro de 2015 e 2014, houve retração de 3,16% também na série sem ajustes sazonais. Na série observada, fevereiro encerrou com o IBC-Br em 135,45 pontos, no menor patamar desde fevereiro de 2013 (134,14 pontos).

O indicador de janeiro de 2015 ante o mesmo mês de 2014 mostrou uma retração menor do que a apontada pela mediana (-4,00%) e ficou perto do teto das previsões (-1,30% a -4,80%) de 29 analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE Projeções. O indicador também registrou queda de 0,56% no acumulado de dezembro do ano passado a fevereiro deste ano na comparação com o trimestre imediatamente anterior, pela série ajustada do BC. Na comparação com idênticos três meses de 2014 (Janeiro e Fevereiro) e de 2013 (dezembro), o resultado ficou em -0,78%. A instituição revisou alguns dados do Índice de Atividade Econômica na margem na série com ajuste. Em novembro do ano passado ante outubro, o resultado de +0,08% foi substituído por +0,10%. Em outubro, o dado de -0,30% passou a ser de -0,29%. Em setembro, mudou de uma alta de 0,26% para +0,25%. O número de janeiro ante dezembro foi mantido em -0,11%, assim como o período dezembro ante novembro em -0,57%.

Fonte: Estadão