Produção de amendoim deve crescer até 13% para o Mundial

Para garantir uma safra mais forte, a aposta dos produtores é também em tecnologia.

De olho na Copa do Mundo e nos milhões de torcedores que assistirão aos jogos em frente à TV, produtores de amendoim da região de Ribeirão Preto preveem crescimento na produção de até 13,3% na próxima safra.

A expectativa dos produtores é esgotar o estoque antes do mundial, em junho. Se não houvesse Copa, provavelmente o estoque acabaria somente em fevereiro de 2015.

Segundo a Coplana (Cooperativa Agroindustrial), que agrega 130 produtores no interior paulista, a estimativa é colher 85 mil toneladas de amendoim. Na safra que encerrou em abril, a maior da história da cooperativa, foram 75 mil toneladas.

Os produtores também esperam aumentar o faturamento no período, mas não informaram valores.

A saca do amendoim de 25 quilos (com casca) fechou a safra com o valor médio de R$ 30. Na safra 2011/12, o valor da saca foi de R$ 26,50.

"A expectativa é que haja um aumento no consumo, tanto do público brasileiro quanto de turistas que querem provar produtos típicos do Brasil", diz Paulo Umberto Henn, gerente de desenvolvimento agrícola da Coplana.

"Faz alguns anos que o preço está muito bom", afirma o produtor Walter Aparecido Luiz de Souza, 53. Ele plantou amendoim em 780 hectares e espera uma colheita média de 250 sacas por hectare.

Estimativa do IEA (Instituto de Economia Agrícola), órgão ligado à Secretaria de Estado da Agricultura, aponta que a área plantada de amendoim deve crescer 3% no ano, para 88,9 mil hectares.

A empresa Santa Helena, de industrialização do amendoim, estima aumentar as vendas em até 25% em 2014 por causa da Copa. "Ela vai coincidir com as festas juninas, que é o período de maior consumo de produtos à base de amendoim", explica Luís Bertella, diretor da empresa.

As lavouras de amendoim surgem na região de Ribeirão Preto nesta época do ano como alternativa na rotatividade do ciclo da cana.

"É um cultivo de alto custo, tecnologia e trabalho, bem diferente da cana-de-açúcar", disse Souza.

De acordo com Flaviane Araújo, 33, consultora de agronegócios do Sebrae de Ribeirão Preto, 25% da produção nacional de amendoim está concentrada em municípios da região.

Para garantir uma safra mais forte, a aposta dos produtores é também em tecnologia. "Os produtores têm usado melhores sementes, controle fitossanitário adequado e fertilização correta das lavouras", disse Henn.

A produção de amendoim, segundo a consultora do Seabre, tem custos duas vezes maiores do que o plantio de soja, também usado na rotação do cultivo da cana. "O amendoim, porém, é mais lucrativo que a soja", disse.

Fonte: Folha de São Paulo