Quanto custa fazer uma graduação?

Quanto custa fazer uma graduação?

Quanto custa fazer uma graduação?

SÃO PAULO - O sonho de fazer uma graduação está mais próximo. Mas, chegou a hora de pensar nos gastos de um curso universitário. Quais são as despesas mais frequentes?

Para quem passou no vestibular de uma instituição pública, não há as despesas com a mensalidade. Porém, outros gastos que prevalecem tanto para os estudantes de universidade privadas quanto públicas são aqueles relacionados ao meio de transporte, livros, alimentação, entre outros.

De acordo com o coordenador do curso de economia e do centro de ciências sociais e aplicadas do Mackenzie, professor Paulo Scarano, ao término de uma graduação, o universitário terá gasto aproximadamente R$ 20 mil.

"Um estudante que utilize uma viagem de ônibus e uma de metrô, beneficiado pelo passe escolar, e que gaste em torno de R$ 50 com materiais em gerais, que compre em média um livro por mês, tome um lanche nos intervalos de aula fazendo um curso com duração de quatro anos e sem ter que refazer nenhuma disciplina terá investido em média R$ 20 mil".

Faculdade Privada

Se além de todas as despesas citadas acima, o universitário tiver que pagar mensalidades, o valor das despesas quadruplica.

"Ao acrescentarmos as mensalidades de uma universidade brasileira de bom nível (não necessariamente cara) e considerarmos, de maneira conservadora, o custo de oportunidade daquele dinheiro, tal estudante terá gasto, ao final de quatro anos, cerca de R$ 80 mil".

Financiamentos

Com o objetivo de ter o ensino superior completo, muitos estudantes resolvem recorrer à empréstimos.

Entretanto, na opinião do professor, o estudante precisa pensar em alguns aspectos antes da decisão.

"Recorrer a empréstimos para cursar a universidade é uma opção. No entanto, o estudante deve adotar a postura racional e a disciplina de quem faz um investimento. Assim, o incremento esperado da renda (na avaliação de suas condições pelo próprio estudante) deve compensar os custos deste empréstimo. Em geral, os dados mostram que a renda de quem tem curso superior completo é significativamente maior do que a recebida por quem possui apenas nível médio".

Alerta

Scarano ressalta que, para aqueles universitários que optaram por fazer um empréstimo, é bom ter alguns cuidados, além de estar preparado para eventuais mudanças de hábitos de consumo.

"Os cuidados a serem tomados por quem faz o empréstimo envolvem não esquecer que o financiamento permitiu que o benefício (do acesso à educação) pudesse ser usufruído de imediato, mas que associado a ele há um custo. Assim, quem faz essa opção não pode subestimar suas necessidades futuras, decorrentes do próprio ciclo da vida, que podem envolver um casamento, por exemplo, e deve estar disposto a arcar com os sacrifícios, em termos de consumo, decorrentes de sua escolha".

Recompensa

Depois de ter os gastos com a graduação, certamente o então bacharel conseguirá recuperar o valor investido. A dúvida é: em quanto tempo esse estudante será recompensado?

"Um estudante de uma carreira clássica, na área de negócios, por exemplo, formado por uma universidade de bom nível, tem maior propensão a conseguir uma boa colocação no mercado de trabalho. Assim, é perfeitamente plausível que o valor investido na graduação seja recuperado em dois ou três anos", finaliza o professor.

Fonte: AFP