Quatro pessoas presas durante Operação Euromar em São Luís

Operação ocorre em São Luís e, também, nas cidades de São Paulo e Brasília.

SÃO LUÍS - A Polícia Civil desencadeou, nesta madrugada, 6, a Operação Euromar, onde foram apreendidos computadores, documentos no prédio da Euromar, na avenida Carlos Cunha, além da prisão de quatro pessoas na capital maranhense. Débora Mendes Sampaio (diretora comercial da Euromar), Luis Fernando Ferreira Santos (da empresa de emplacamentos L.S.Campos), Carlos Wilson Rolim de Castro e Ronaldo Costa Campos (responsável da venda frotista da Euromar), o capitão Ronaldo (funcionário da Controladoria do Detran e trabalhou como Consultor da Euromar), estavam com mandados de prisão decretadas pela Justiça e se encontram no auditório da Secretaria de Estado de Segurança Pública, no Outeiro da Cruz.

De acordo com a polícia, foram presas duas pessoas, sendo um diretor da Wolkswagen, em Brasília, e outra em São Paulo. Essas pessoas são acusadas de fraudes na empresa Euromar e ligadas ao empresário Alessandro Martins, que continua foragido. Uma outra informação é de que a Ferrari do empresário já foi localizada, e conduzida para o prédio da Secretaria de Segurança.

A Operação Euromar está sendo coordenada pela Superintendência de Polícia Civil da Capital, Delegacia Estadual de Investigação Criminais (Deic) e contou com a participação de dez delegados, 30 investigadores, 20 policiais, além do Grupo Tático Aéreo (GTA), que cumpriram os mandados de busca e apreensão.

Operação Integrada

O secretário de Estado de Segurança Pública, Aloisio Mendes Guimarães, o delegado Lucas da Costa Ribeiro Filho (delegacia Fazendária, responsável pelo inquérito) e a promotora Lítia Cavalcanti conversaram com a imprensa, nesta manhã, para dar explicações sobre a Operação integrada, entre as Polícias Civil, Ministério Pública e Tribunal de Justiça do Estado.

Mandado de prisão

O Ministério Público, por meio dos promotores Augusto Cutrim (Ordem Tributária) e Lítia Cavalcanti (Defesa do Consumidor), conseguiu obter um mandado de prisão contra o presidente da Euromar, Alessandro Martins. O mandado de prisão foi expedido pela juíza Oriana Gomes na última quinta-feira, 1º.

Segundo a promotora, Alessandro Martins é acusado de uma série de crimes, entre os quais se destacam formação de quadrilha, estelionato, falsificação de documentos, infração no Código de Defesa do Consumidor, crime contra ordem econômica e crime contra relações de consumo.

A polícia, desde que a prisão foi decretada, continua a procura do empresário.

CPI Assembleia Legislativa

O caso Euromar já vinha sendo investigado desde fevereiro de 2009, por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) formada pela Assembleia Legislativa (AL) do Maranhão.

De acordo com o relatório final da CPI, a organização criminosa que Alessandro Martins estaria envolvido teria o objetivo de adquirir veículos em nome de locadoras e assim, a Euromar não pagaria as taxas necessárias para a venda de automóveis. Desta forma, a empresa venderia carros com preços mais baratos do que as concorrentes.

Ainda de acordo com o relatório final da CPI, treze pessoas foram indiciadas, inclusive o presidente da Euromar, Alessandro Martins por formação de quadrilha, falsificação de documento público, crime contra ordem econômica e crime contra relações de consumo.

Fonte: Imirante