Saiba como fazer sobrar dinheiro no fim do mês para poder investir

Saiba como fazer sobrar dinheiro no fim do mês para poder investir

A primeiro medida é fazer um orçamento familiar básico, anotando todos os gastos e renda da família em cada mês

Fazer sobrar algum dinheiro no fim do mês para iniciar ou manter um investimento --como em poupança, fundos, ou ações-- pode não ser tão difícil quanto parece.

Mesmo que se considere o salário apertado para as despesas do mês, com metas estabelecidas e disciplina qualquer pessoa pode ser transformar em um poupador bem-sucedido, afirmam especialistas. Bastam força de vontade e organização.

Nesse processo, a primeiro medida é fazer um orçamento familiar básico, anotando todos os gastos e renda da família em cada mês e cortando despesas que não sejam essenciais.

As dicas incluem especificar quais são as despesas indispensáveis à família (como com aluguel, luz, impostos), determinar quais são os sonhos a serem alcançados no curto prazo (um ano), no médio prazo (até dez anos) e no longo prazo (mais de dez anos --inclui aposentadoria), e se programar para cortar gastos para poupar.

Reinaldo Domingos, educador financeiro, destaca que, para quem está endividado, quitar os débitos deve fazer parte da lista de sonhos, e que é importante retirar o dinheiro para realizar os sonhos listados assim que o salário chegar.

REVISÕES PERIÓDICAS

Depois de colocar o orçamento em prática, é importante que o investidor não deixe de revisar, pelo menos uma vez por ano, os tópicos elencados, para ver se ainda estão de acordo com as necessidades da família. A chegada de um filho ou a perda de um emprego podem exigir ajustes na lista de prioridades e nas metas de investimento.

Para quem já conseguiu organizar as contas, pagar as dívidas e juntar algum dinheiro por mês para aplicar, a dica é também rever constantemente os investimentos --mesmo que o foco seja o longo prazo--, para avaliar como andam os rendimentos e se é preciso fazer algum ajuste de estratégias ou metas financeiras.

Especialistas consultados orientam que essa revisão seja feita a cada três meses no caso de aplicações administradas pelo próprio investidor (como em ações, na Bolsa).

"Para investimentos feitos por gestores de recursos ou seguradoras [como planos de previdência privada], há profissionais que se encarregam desse acompanhamento. Mas é preciso lembrar que o custo disso é maior", diz Mauro Calil, educador financeiro.

De qualquer forma, o contato periódico com os profissionais contratados para administrar as aplicações é importante, pois é o investidor o dono do dinheiro.

CORRETORAS E TAXAS

As taxas cobradas por corretoras para pessoas físicas que investem em ações geralmente vão de 0,3% a 2% do valor da transação, mas podem ser menores, ser um valor fixo ou até deixar de ser cobradas, conforme negociação entre cliente e corretora.

Já na previdência privada, as taxas de administração variam de acordo com o tipo, o período e os valores do plano escolhido.

Essas taxas, que incidem sobre todo o dinheiro poupado, inclusive a rentabilidade, ficam entre 2,5% ao ano e 0,8% ao ano.

"Mas, se o investidor não tem tempo nem disposição para acompanhar o mercado e suas aplicações financeiras, é preferível que ele pague por uma gestão profissional", diz Erasmo Vieira, da Planilhar.

RESERVA DE EMERGÊNCIA

Ainda de acordo com os consultores, a construção do patrimônio de longo prazo deve prever, antes de mais nada, uma "reserva de emergência".

O valor dessa espécie de "colchão" vai depender das necessidades e do perfil de cada família, mas especialistas ouvidos recomendam o equivalente a 12 meses de gastos familiares em aplicações de renda fixa, como em títulos públicos.


Saiba como fazer sobrar dinheiro no fim do mês para investir

Saiba como fazer sobrar dinheiro no fim do mês para investir

Saiba como fazer sobrar dinheiro no fim do mês para investir

Saiba como fazer sobrar dinheiro no fim do mês para investir

Saiba como fazer sobrar dinheiro no fim do mês para investir

Fonte: Folha