Taxa de desemprego no Brasil diminui 7,3%

Índice é o menor para o mês dentro da série iniciada em março de 2002

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 7,3% em abril, a menor para o mês desde o início da série histórica, em 2002. O resultado é inferior ao 7,6% visto em março, segundo dados foram divulgados nesta quinta-feira (27) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em abril do ano passado a taxa estava em 8,9%.

O número de pessoas desocupadas ficou em 1,7 milhão, sem variação sobre março. No entanto, houve leve redução do desemprego na região metropolitana de São Paulo, em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro. Em relação a abril do ano passado houve recuo de 16,4%. Já o número de pessoas ocupadas, ou seja, que exercem alguma atividade remunerada, ficou em 21,8 milhões em abril, também estável frente ao mês anterior. No confronto com abril do ano passado, houve um crescimento de 4,3%, com mais 907 mil postos de trabalho criados em um ano.

O total de trabalhadores com carteira de trabalho assinada em abril - 10,1 milhões de pessoas - não variou na comparação mensal, mas aumentou 7,5% no confronto anual, com a criação de mais 704 mil postos de trabalho com carteira assinada. Os trabalhadores formais no setor privado, no total de 10,1 milhões de pessoas, são 46,4% do total de ocupados.

Na comparação com abril do ano passado, houve alta no emprego nos setores: indústria extrativa, de transformação e distribuição de eletricidade, gás e água (4,8%); da construção (10,6%); dos serviços prestados às empresas, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira (6,4%); da educação, saúde, administração pública, defesa e seguridade social (4,0%); e dos outros serviços (6,4%). Renda O rendimento médio dos trabalhadores (R$ 1.424,10) ficou estável em relação ao de março (R$ 1.423,32).

Frente a abril de 2009 (quando estava em R$ 1.392,65), no entanto, houve ganho de 2,3%. A massa real de salários das pessoas ocupadas referente a abril - R$ 31,4 bilhões - subiu 0,6% no mês e 6,6% no ano. O rendimento das famílias brasileiras por pessoa (R$ 930,59) teve queda de 0,4% em relação a março e ganho de 2,4% no confronto com abril de 2009.

Fonte: r7