Taxas de juros bancários ficam estáveis

Empréstimo pessoal e cheque especial mantiveram taxas na casa dos 5% ao mês

As taxas de juros de empréstimo pessoal e de cheque especial ficaram estáveis em abril. É o que mostra pesquisa realizada pelo Procon-SP, que compara mensalmente as taxas praticadas pelos principais bancos do país.

A taxa média do empréstimo pessoal ficou em 5,17% ao mês (a.m.), mesmo percentual do mês anterior. É o sexto mês consecutivo que o empréstimo pessoal apresenta a mesma taxa média ? que em março foi de 5,171% a.m. e neste mês foi de 5,168% a.m.

A única alteração foi promovida pelo Bradesco, que reduziu a taxa de empréstimo pessoal de 5,37% para 5,34% a.m. (voltando à taxa praticada em fevereiro).

Já no cheque especial, a taxa média dos bancos pesquisados manteve-se em 8,79% a.m. ? o mesmo valor do mês passado. Este é o quarto mês consecutivo de permanência dos níveis das taxas.

O levantamento foi feito em 1º de abril com dez instituições: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco.

Maiores e menores

A pesquisa mostra que a menores taxas continuam com um banco público. A Caixa Econômica cobra 4,39% a.m. para o empréstimo pessoal e 6,75% a.m. no cheque especial.

Na outra ponta, o Itaú Unibanco pratica taxa de 5,86% a.m. para os empréstimos, enquanto o Safra tem o maior custo do cheque especial: 12,30% a.m.

Na conta anual, a taxa média dos créditos pessoais soma 83,06% a.m. Já o cheque tem custo acumulado de 174,74% a.m.

Na segunda reunião deste ano (ocorrida nos dias 16 e 17 de março), o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu manter a taxa Selic em 8,75% ao ano ? taxa que vem se mantendo desde a reunião de julho do ano passado.

Fonte: R7, www.r7.com