Telefônica quer oferta conjunta por TIM Brasil, diz jornal italiano

Telefônica quer oferta conjunta por TIM Brasil, diz jornal italiano

Cade disse que empresa deve vender sua participação na TIM Brasil ou buscar um novo parceiro para o seu negócio de telefonia móvel Vivo

A Telefônica está trabalhando em uma oferta conjunta para assumir a TIM Participações e quebrar a unidade wireless local da Telecom Itália, também conhecida como TIM Brasil, disse um jornal italiano nesta sexta-feira citando "fontes confiáveis​​".

O órgão antitruste do Brasil, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), disse no mês passado ao grupo de telecomunicações espanhol que ou venda sua participação na TIM Brasil ou busque um novo parceiro para o seu negócio de telefonia móvel Vivo.

O jornal italiano Il Sole 24 Ore disse que a Telefónica, que em parte é dona da TIM Brasil por meio de seus 15% de participação na Telecom Italia, está buscando criar um veículo de investimento com os seus dois principais rivais no mercado móvel brasileiro para comprar a unidade e separá-la.

Os dois rivais são a America Movil de Carlos Slim, dono da operadora móvel Claro, e a brasileira Oi. A Telefônica não quis comentar. A Telecom Italia não estava imediatamente disponível para comentar o assunto.

O jornal disse que o banco de investimento Pactual trabalha no negócio. O veículo pode receber financiamento de bancos estatais para promover a consolidação do setor. O jornal acrescentou que uma oferta pela TIM Brasil poderia ocorrer antes do fim do mês, e disse que o conselho da Telefónica se reunirá no início da próxima semana para discutir o assunto.

Já o jornal italiano Il Giornale informou que o comitê estratégico da Telefónica poderia se reunir na segunda-feira para discutir o assunto. Em dezembro, fontes disseram à Reuters que a Telefónica tinha 18 meses para reduzir o controle no mercado de telefonia móvel brasileiro, dando-lhe tempo para prosseguir com a sua opção preferida: vender a TIM da Telecom Italia entre meados de 2014 e meados de 2015.

Fonte: Terra