Turismo religioso estimula economia no país

Religião é motivo de 3,6% de todas as viagens realizadas dentro do país

A busca por destinos de viagem religiosos tem crescido no país, contribuindo para o incremento da economia de pequenos municípios - a maioria localizada no interior do Brasil. De acordo com dados preliminares do que virá a ser o Mapa do Turismo Religioso do governo federal, já foram identificadas 344 cidades com calendário de eventos - a maior parte católicos.

Aparecida, no interior do estado de São Paulo, é um dos destinos mais procurados pelos fiéis no país. Por ano, a cidade, cuja população fixa chega perto de 37 mil habitantes, recebe cerca de 10 milhões de visitantes. Nos últimos três anos, o número de turistas têm aumentado 10%, em média, segundo a Secretaria Municipal de Turismo.

"O turismo religioso representa 80% da renda de Aparecida. É o motor da cidade, não há outro meio econômico. Só de leitos, temos 35 mil nos hotéis. Daria para acomodar quase a cidade inteira" disse o secretário, Célio Luís Batista Leite.

O aumento da renda dos brasileiros, do trabalho formal e do acesso ao crédito tem sido essencial para que essa tendência de expansão do segmento de turismo religioso se mantenha e possa ser observada não apenas em Aparecida, mas em todo os destinos do país, de acordo com o setor.



Católica fervorosa, conforme se intitula, a aposentada Aparecida Ferro Sona, 73 anos, moradora de São Paulo, disse já ter percorrido a maioria dos destinos religiosos do país.

"Já fui para todos os lugares que você possa imaginar, e mais de uma vez. Viajo desde muito nova. Acabei de voltar de um santuário lindo, perto de Goiás. Mas recomendo a todos que um dia conheçam Aparecida. Perdi as contas de quantas vezes já fui", relembra. A atração por esses lugares era tão grande que Aparecida acabou planejando viagens para destinos ainda mais distantes, chegando até Jerusalém, em Israel, Fátima, em Portugal, Toledo, na Espanha, e Vaticano.

Em Juazeiro do Norte, localizado no Vale do Cariri, no sul do Ceará, o interesse pelo principal atrativo da região vem crescendo nos últimos anos, bem como o número de dias em que os turistas permanecem no município, consumindo mais e gerando mais renda para economia local. Em Juazeiro do Norte, viveu padre Cícero Romão Batista - historicamente considerado o maior benfeitor da cidade, morto há 76 anos. Por ano, a cidade recebe perto de 2,5 milhão de visitantes.

"As pessoas têm tido mais interesse, estão mais movidas pela religião, e com mais condições de vir para cá. O movimento está crescendo nos últimos anos. Temos observado que o romeiro, que antes vinha para cá sem muitas condições, já fica hospedado por mais tempo e explora, inclusive, outras atrações que temos aqui", disse José Carlos dos Santos, secretário da pasta de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Romaria, a única em todo o mundo, segundo ele.

Os benefícios desse crescimento não se restringem apenas ao comércio local e à rede hoteleira da cidade cearense. O mercado imobiliário da região também está aquecido, e mais empresas têm optado por instalar-se no município, segundo Santos. "A cidade inteira tem crescido e está crescendo em torno da religião, dos atrativos religiosos", afirmou o secretário.

Dados do turismo no país

De acordo com o governo, a estimativa é que o setor turístico responda por até 4% do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma das riquezas produzidas no Brasil, até 2014. A estimativa é baseada no ritmo de crescimento da economia do país, segundo o ministério.

Hoje em dia, o setor corresponde a cerca de 2,6% do PIB, perto de US$ 39 bilhões. Do total, 85% são receitas geradas pelo turismo doméstico.

No segundo semestre deste ano, os desembarques domésticos deverão crescer 25% na comparação com o mesmo período do ano passado. Isso resulta em uma alta de 10% sobre 2008, considerado um dos melhores da história para o setor, conforme informou o Turismo.

Fonte: g1, www.g1.com.br