Twitter deve comprar outras empresas de software em 2010, diz fundador Biz Stone

Twitter pretende comprar outras empresas de software, à medida em que continua a ganhar popularidade, afirmou Biz Stone

O Twitter pretende comprar outras empresas de software, à medida em que continua a ganhar popularidade, afirmou Biz Stone.

Em entrevista coletiva em Tel Aviv, Stone afirmou que no momento ainda não existe nenhuma negociação. ?Isso é algo em que definitivamente estamos interessados. Fizemos uma aquisição no ano passado que provou ser uma decisão espantosamente boa.?

Em 2008, o site de microblogs adquiriu o seviço de buscas Summize.

O cofundador da empresa disse que espera ?começar a ganhar dinheiro? em 2010. Ele revelou também que no próximo ano o Twitter apresentará seu plano para gerar receita por meio de publicidade. Sem entrar em detalhes de como deve funcionar esse plano, Stone disse apenas que a publicidade seria em formato ?não tradicional?.

?O ano de 2010 realmente será o ano da receita. Eu não sei se seremos lucrativos, mas temos muito tempo pela frente?, afirmou Biz Stone.

Em setembro, o Twitter recebeu uma nova rodada de recursos de investidores, o que teria aberto as portas para uma eventual oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) ou venda da empresa, segundo analistas do mercado. O novo financiamento, dizem, seria de US$ 100 milhões, o que teoricamente dá um valor de mercado à companhia de US$ 1 bilhão.

"Definitivamente não estamos interessados em vender a empresa", disse Biz Stone, um dia antes em evento sobre empreendedorismo na Universidade de Oxford, no Reino Unido. "Se um IPO for o único jeito, aí é claro que tomaremos essa decisão. Mas talvez apareça uma outra saída, o que seria ótimo", acrescentou Stone.

O serviço, que permite a usuários enviar mensagens de 140 caracteres a grupos de "seguidores", é uma das redes sociais de crescimento mais rápido na internet.

O número mundial de visitantes do site chegou a 44,5 milhões em junho, 15 vezes mais que o total registrado no mesmo período um ano antes, de acordo com a comScore, que mede a audiência da Internet.

No mês passado, o Twitter assinou acordos com Microsoft e Google para permitir buscas no seu conteúdo em tempo real. Também fechou parceria com o site de redes sociais LinkedIn.

Fonte: Época