Veja 5 maneiras de potencializar os investimentos e se tornar "modelo"

Segundo o educador financeiro, é cada vez mais importante que o investidor cuide do seu dinheiro, escolhendo muito bem quem vai tomar conta dele

A mudança no cenário econômico brasileiro, com a queda da Selic (taxa básica de juros) e a alta da inflação, vem penalizando muitos investidores que já não sabem mais onde aplicar suas economias. Se antes bastava deixar o dinheiro em um investimento de renda fixa para vê-lo crescer, agora, achar uma aplicação que dê uma boa rentabilidade se tornou um desafio, o que exige maior comprometimento por parte dos investidores, conforme aponta o educador financeiro e fundador da Academia do Dinheiro, Mauro Calil.

"Hoje os investidores que quiserem ter uma rentabilidade diferenciada, deverão ter também um comportamento diferenciado. Assim, é necessário um novo modo de agir, baseado no interesse em conhecer, aprender e estar atento às opções de aplicações disponíveis no mercado", ressalta.

Segundo o educador financeiro, é cada vez mais importante que o investidor cuide do seu dinheiro, escolhendo muito bem quem vai tomar conta dele e acompanhando de perto o que tem sido feito com suas aplicações.

Para exemplificar o que seria um "investidor modelo", o especialista sugere 5 comportamentos que podem fazer a diferença na performance da sua aplicação.

Confira quais são eles:

1º - Invista com consistência e congruência

Isso significa que mais importante do que a quantia investida é a disciplina que se tem ao investir, seja semanalmente, mensalmente ou o período que o investidor achar melhor. Além disso, o valor deve ser proporcional à sua renda. "O ideal é que essa quantia seja entre 10% e 30%", sugere Calil.

2º - Reinvista juros e dividendos

O melhor a se fazer é utilizar o rendimento de suas aplicações e reinvesti-lo até que o investimento consiga se manter "sozinho", na opinião de Calil. " Os frutos devem oferecer novas sementes e não refeições. Faça isso até que seu pomar o alimente para sempre, sem que necessite de grandes cuidados", compara.

3º - Invista em setores e empresas que crescem

Como a renda fixa não tem gerado os melhores retornos, a renda variável é uma boa alternativa, desde que se invista em setores que têm boas perspectivas e empresas com bons fundamentos dentro desses segmentos.

4º - Diversifique

Nesse caso, a sugestão de Calil é possuir em seu portfólio renda fixa, renda variável e imóveis. "A renda fixa formará um colchão de segurança necessário para dar tranquilidade em épocas ruins, a renda variável trará velocidade de enriquecimento e os imóveis, receitas recorrentes a serem reaplicadas", aponta.

5º - Mantenha-se atualizado e atuante

Todo dia os noticiários estão recheados de informações que terão um impacto, muitas vezes indireto, em sua carteira de investimentos. Portanto, é essencial estar antenado às notícias e usar o conhecimento adquirido para realizar alterações no portfólio, caso seja necessário.

Fonte: UOL