Veja dicas para não se endividar durante Copa do Mundo no Brasil

Veja dicas para não se endividar durante Copa do Mundo no Brasil

É preciso ficar atento para não perder controle, diz educador financeiro

Depois de 64 anos, a Copa do Mundo de futebol retorna ao Brasil e tende a aumentar os gastos dos brasileiros. Apesar da oportunidade de ver de perto a seleção brasileira, especialistas recomendam cautela com as despesas para evitar desequilíbrio no orçamento familiar. Aproveitar bem o megaevento, que começa em menos de 15 dias, exige planejamento.

"Nesse período, a população estará focada nos jogos, em ritmo de comemoração, o que significa aumento de gastos, desde compra de eletrônicos, como uma TV nova, por exemplo, até alimentação. É preciso ficar atento para que um único período não desequilibre toda uma vida financeira", avalia Reinaldo Domingos, educador financeiro e presidente da DSOP Educação Financeira.

De acordo com ele, grande parte da população não é educada financeiramente e, por esse motivo, tem dificuldades para organizar as contas. "É preciso ponderar, pois, caso contrário, se for tomado pela animação do momento, acabará comprando mais do que pode e precisa. Copa é momento de alegria e festa, mas não pode ser sinônimo de endividamento."

Veja dicas para não se endividar na Copa do Mundo:

- Caso não tenha conseguido ingressos para assistir aos jogos da Copa, não cometa loucuras, pagando exorbitâncias para cambistas. Além de ser crime, há o risco de o ingresso ser falsificado e dos valores descontrolarem as contas da família;

- Se for viajar para outra cidade para assistir aos jogos, pesquise com antecedência passagens e estadia. Os preços já estão exorbitantes e ficarão ainda maiores para quem deixar para a última hora;

- Estabeleça valores a serem gastos no período, separando uma quantia que não trará grande impacto no orçamento dos próximos meses;

- Uma boa pedida é se planejar com antecedência para assistir aos jogos com amigos. É preciso levantar o que será servido (entre bebidas e comidas), quanto será gasto e, então, dividir a conta com todos. Esse é um evento coletivo, não só para os jogadores, mas também para os que assistem e curtem;

- Não é por causa da Copa que você precisa trocar todos os eletrônicos (TV, computador, celular, som, etc). Acalme-se e nada de ansiedade. Talvez esta não seja uma boa hora para isso. Mas, se realmente achar necessário, pesquise na internet e em diversas lojas o melhor preço.

- Denuncie abusos cometidos nos preços cobrados por produtos e serviços, que podem estar muito maiores do que em períodos anteriores à Copa do Mundo. Procure auxílio sempre que considerar necessário.

?Os Procons estão alinhados e defenderão os consumidores que estiverem com a razão. Eles já possuem, inclusive, a lista de tarifário dos hotéis desde o ano passado para que possam avaliar a subida dos preços?, explica o advogado tributarista Cristiano Diehl Xavier, sócio do Xavier Advogados.

Fonte: G1