Carros: Vendas de fim de ano podem ser antecipadas

Carros: Vendas de fim de ano podem ser antecipadas

Depois do anúncio da prorrogação, até 31/10, da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados, algumas marcas demonstram um aumento.

Passado o mês de agosto, o efeito do IPI reduzido já se mostra de forma mais clara nos números relativos à venda de veículos nas concessionárias. Depois do anúncio da prorrogação, até 31/10, da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados, algumas marcas demonstram um aumento que beira os 40% em relação à média normalmente observada. E a expectativa é de que, como a redução foi prorrogada, muitas das vendas de carros esperadas para o fim do ano acabem acontecendo antes.

?O que vemos é que muita gente está planejando comprar carro em novembro ou dezembro -historicamente considerado o período de maior volume na venda de carros novos- vai querer aproveitar o imposto menor, antecipando a compra para outubro?, disse Érico Veiga, diretor comercial da Canadá Veículos, que trabalha com carros Chevrolet. Segundo ele, a saída de veículos cresceu 38% no mês de agosto em relação à venda média.

?Os populares foram os mais pedidos, claro. Mas esse aumento recorde nas vendas contemplou a toda nossa linha de veículos. Some-se a isso o fato de que a GM ofereceu, apenas neste ano, sete lançamentos, e todos eles apresentaram crescimento nas vendas com a redução no IPI. Para exemplificar, basta dizer que foram nada menos que 92 S-10 faturadas só no mês passado. O Colbat, o Cruze e o Spin também apresentaram desempenho muito bom?, disse Veiga.

Na concessionária Via Paris, que comercializa veículos Renault, o cenário é o mesmo. Crescimento acima de 30% em agosto, e o otimismo para os meses que virão. ?E vale a pena lembrar que não foi só a redução do IPI que contribuiu para toda essa movimentação da compra de carros. As taxas de juros também estavam favoráveis?, lembrou a gerente de vendas da Via Paris, Iracema Silva.

Agora, as concessionárias preparam-se para tentar readequar os estoques de carros, já que muita gente que procurou comprar no mês passado não conseguiu porque as montadoras não conseguiram atender a esse crescimento da demanda. ?A prorrogação vai fazer com que o mercado continue bastante aquecido em setembro e outubro. Vamos correr para atender os clientes que acabaram não conseguindo comprar seus carros no mês passado?, complementou Érico Veiga.

Fonte: Dowglas Lima