Edredons amorteceram o impacto, acredita sobrevivente de acidente

Acidente em São Lourenço da Serra deixou 16 mortos e 30 feridos.

"Ao mesmo tempo em que comemoro a minha nova vida, fico muito triste pelos que se foram", diz Antônio Thieme, de 37 anos, um dos sobreviventes do acidente de ônibus que deixou 16 mortos e 30 feridos na madrugada de domingo (22), em São Lourenço da Serra, na Região de São Paulo.

O veículo saiu de Curitiba na noite de sábado (21) e iria para o Rio de Janeiro. Thieme mora na capital paranaense e viajou para comemorar o Natal com a família. Ele teve ferimentos nas pernas e nos ombros. "Foi uma situação muito trágica, muito triste", acrescenta.

Ao G1, o professor de inglês contou que estava dormindo no momento do acidente e que acordou com o gemido de dor dos ocupantes do veículo. "Eu acho que logo que o ônibus começou a capotar eu devo ter batido a cabeça e perdido a consciência por alguns minutos porque eu, simplesmente não vi nada, quando me dei conta a tragédia já tinha acontecido", explica.

O acidente aconteceu por volta das 2h30 na altura do km 300 da rodovia Regis Bittencourt, no sentido São Paulo. O ônibus da Viação Nossa Senhora da Penha saiu da pista, caiu na ribanceira de aproximadamente dez metros de altura e tombou ao bater no solo. Ao todo, 54 passageiros viajavam nos dois andares.

O professor também contou que estava sem cinto de segurança e que quando acordou percebeu que tinha sido arremessado para o fundo do veículo. "Eu estava no andar de baixo e sentado nas primeiras poltronas. Acho que não me machuquei tanto porque no fundo do ônibus tinham vários edredons, acredito que isso amorteceu o impacto", lembra. "Foi muita sorte".

"A primeira coisa que eu fiz quando acordei foi passar a mão no corpo pra ver se estava sangrando", diz o sobrevivente. "Estava muito escuro, não dava pra ver nada. Sorte que eu estava com o celular ao alcance das mãos e pude iluminar o local pra conseguir enxergar alguma coisa", relata.

O professor de inglês disse que saiu engatinhando no pouco espaço livre que restava no veículo junto com outros sobreviventes. "Isso não foi uma coisa rápida. O chão estava muito liso porque as pessoas tinham sangrado muito", afirma. Depois disso, ele subiu até o acostamento da rodovia e foi socorrido. Ele está no Rio de Janeiro e vai passar o Natal com a família como tinha planejado.

Outros sobreviventes

Quinze feridos no acidente continuavam internados em hospitais da Grande São Paulo, na manhã desta segunda-feira (23), como informou o Bom Dia São Paulo. Um deles está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Itapecerica da Serra, na região metropolitana.

Homicídio culposo

O motorista do ônibus foi indiciado por homicídio culposo na direção de veículo automotor. A Polícia Civil investiga a causa do acidente. O delegado Renato Gonçalves Coletes disse que a hipótese mais provável para o acidente é a de que o motorista tenha dormido na direção do ônibus. ?Tudo indica que o motorista dormiu ao volante?, afirmou.


Edredons amorteceram o impacto, acredita sobrevivente de acidente

Edredons amorteceram o impacto, acredita sobrevivente de acidente

Fonte: G1